10/04/2018 às 14h15min - Atualizada em 10/04/2018 às 14h51min

UFU inicia operação de sistema de monitoramento

Campus Santa Mônica é o primeiro a contar com câmeras em área interna

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Cinquenta e uma câmeras foram instaladas em pontos estratégicos do Santa Mônica | Foto: Vinícius Lemos

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) anunciou hoje o início da operação do sistema de videomonitoramento do campus Santa Mônica, que teve 51 câmeras de segurança instaladas em áreas consideradas estratégicas. Os aparelhos, prometidos para janeiro deste ano, seguem sendo implantadas nos demais campi da instituição até o mês de junho, quando 200 câmeras farão a vigilância em toda a UFU. O contrato firmado entre a empresa de segurança é de cinco anos e terá custo global de R$ 9 milhões.

O Santa Mônica será o campus com o maior número de câmeras. Em maio será finalizada a instalação no campus Umuarama. Apenas nesses campi haverá o monitoramento ao vivo, com pessoal instalado em uma central. A sala com os monitores já funciona, com pessoal 24h por dia. As câmeras instaladas conseguem fazer o reconhecimento facial e de placas, o que pode ajudar o trabalho policial de identificação de veículos e suspeitos ligados a crimes. Nos demais campi, as câmeras serão de gravação (ver cronograma de instalação abaixo). Apenas Patos de Minas fica de fora da rede de vigilância, uma vez que na cidade a UFU não funciona em espaço próprio.

Os equipamentos são instalados em pontos considerados estratégicos, com maior fluxo de pessoas, além de locais que possibilitem grandes áreas de visibilidade. Haverá, dessa forma, a cobertura de todos os blocos dos campi.

As imagens são estritamente de uso da instituição e apenas forças policiais terão acesso a elas. Unidades acadêmicas, estudantes ou servidores precisarão de ordens judiciais para obtenção de algum trecho de gravação. O sistema se juntará a um corpo de 38 seguranças contratados pela própria universidade, além de outros 172 terceirizados.

O atraso de três meses na implantação do sistema foi ocasionado por trâmites da licitação, segundo o reitor da UFU, Valder Steffen Júnior. “Processo licitatório exigiu tempo maior que o inicialmente previsto para que fosse cumprido com tranquilidade”, disse. As câmeras, ao fim dos cinco anos de contrato, serão de propriedade da universidade. O custo mensal de operação chega a R$ 165 mil.
 
POLICIAMENTO

De acordo com números da Polícia Militar (PM), seis casos de tráfico de drogas foram flagrados no campus Santa Mônica entre janeiro e março de 2018, número igual ao registrado durante todo o ano passado. A alta nos registros, segundo a PM, estaria atribuída a um maior patrulhamento, aliado a mais denúncias feitas em início de semestre letivo.

A UFU não divulgou o quantitativo de ocorrências registradas nos campi, mas disse que tráfico, furtos e roubos, abandono de veículos produtos de crime, além de crimes contra a mulher são os casos mais comuns nas áreas de sua reponsabilidade.

Ainda que seja em um órgão federal, desde 2016 a PM tem a obrigação de fazer o patrulhamento nos campi da UFU, de acordo com decisão judicial. A determinação decorreu de uma ação civil pública do Ministério Público Federal (MPE).

“Inicialmente houve a instauração de um inquérito e tentamos um policiamento sem ação na Justiça, mas havia uma dificuldade por parte da universidade em permitir esse policiamento, o que nos obrigou a ingressar com ação civil pública e conseguimos a decisão judicial. A PM também queria fazer o policiamento. A Polícia Federal não faz esse tipo de trabalho ostensivo porque é investigativa, o que foi mais um motivo que nos levou a ingressar com a ação”, disse o procurador da República Cléber Eustáquio Neves.
 
SISTEMA DE VIDEOMONITORAMENTO DA UFU

200 câmeras ao todo

Cronograma de instalação de câmeras:

15 de maio – Campus Umuarama
30 de maio – Campus Educação Física
10 de junho – Campus Glória
20 de junho – Campus Pontal
30 de junho – Campus Monte Carmelo
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »