02/04/2018 às 14h17min - Atualizada em 02/04/2018 às 14h17min

Uberlândia tem quase 70 veículos apreendidos por adulteração em menos de 2 anos

Qualidade das adulterações está sendo aprimorada pelos fraudadores

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Dois cavalos mecânicos foram apreendidos na última semana | Foto: Vinícius Lemos

Desde 2016, quase 70 veículos adulterados foram apreendidos pela Polícia Civil (PC) em Uberlândia durante as vitorias na Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran). Na última semana foram duas apreensões, quando cavalos mecânicos eram transferidos para a cidade e foi percebido que eles estavam montados com peças de origem duvidosa. Só neste ano, 10 apreensões do tipo foram feitas - o que equivale a mais da metade do total de 2016.

O delegado de trânsito Hélder Carneiro atribui o aumento de flagrantes ao maior rigor nas fiscalizações, uma vez que um esquema de verificação especializado foi montado para coibir crimes de adulteração veicular. Existe um “check list” criado pelos próprios vistoriadores para que peças furtadas ou roubadas sejam descobertas em chassis aparentemente sem problemas.

Foi isso o que aconteceu no caso dos veículos apreendidos na última quarta-feira (28). Um deles era transferido da cidade de Tupaciguara (MG) e o outro da cidade de Cachoeira Alta (GO), quando a PC viu que existia uma série de itens sem placas identificadoras ou adulteradas. São peças como cabine, motor, eixo, diferencial e vidros. No caso de um dos flagrantes da semana passada, o veículo original tinha sofrido um acidente e, no trabalho de recuperação, foram usadas peças que podem ter sido roubadas ou furtadas de outros veículos.

Dois homens foram ouvidos pela PC, mas não foram presos, uma vez que não se sabe se são parte do crime ou foram enganadas no momento da compra dos cavalos mecânicos. Entretanto não está descartada a participação deles. A Delegacia de Furtos e Roubos agora investiga os casos, que podem levar ao indiciamento por receptação, adulteração de sinais identificadores ou associação criminosa, se for comprovada a existência de um grupo especialista nessas adulterações.

LAUDOS

Os laudos de adulteração levam em consideração uma série de itens chamados de agregados, os quais são montados nos chassis de veículos sem suspeitas. São comparadas as informações dessas peças junto à Base de Informações de Índice Nacional (BIN), que está ligada ao Denatran e traz características e informações dos veículos pertencentes à frota nacional a partir do sistema de Registro Nacional de Veículo (Renavam). Caso haja qualquer discrepância, o automóvel pode ser apreendido.

Cerca de 400 veículos são vistoriados por dia na Ciretran de Uberlândia. Além dos 10 flagrados neste ano, no ano passado foram mais 39, além de 14 em 2016. A delegacia de trânsito alerta que o esquema tem sido cada vez mais difícil de flagrar, devido à qualidade do trabalho de adulteração.

“Não só a quantidade está aumentando, a qualidade das adulterações também. Pessoas leigas compram veículos adulterados facilmente sem desconfiar. É preciso verificar antes. Recentemente um técnico nacional de uma marca teve que vir a Uberlândia para comprovar o crime”, disse o delegado Hélder Carneiro.
 
NÚMEROS

Apreensões por adulteração de veículos em Uberlândia

2016: 14 veículos
2017:  39 veículos
2018: 10 veículos (até março)
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »