12/03/2018 às 17h14min - Atualizada em 12/03/2018 às 17h14min

Situação atual motivou candidatura, diz jornalista Valéria Monteiro

Pré-candidata à Presidência esteve em Uberlândia

WALACE TORRES | EDITOR
Valéria Monteiro esteve na Câmara Municipal e falou da pré-candidatura | Foto: Denilton Guimarães/CMU

A jornalista Valéria Monteiro abriu a agenda deste ano de visitas a Uberlândia de postulantes ao cargo de presidente da República, nesta segunda-feira (12), durante passagem da “Caravana da coragem” por municípios do Triângulo Mineiro. Filiada ao PMN desde janeiro deste ano, Valéria, que ficou conhecida por ser a primeira mulher a apresentar o Jornal Nacional, da Rede Globo, tem como meta em sua primeira participação direta na política nacional provocar uma reflexão do cenário atual da política e chamar a atenção do eleitorado para mudanças.

Sua principal bandeira será o combate à desigualdade em todos os segmentos. “A desigualdade é que faz com que a gente tenha dificuldade de acesso à educação, a falta de mobilidade, a falta de segurança”, disse.

A pré-candidata tem percorrido os municípios de vários estados em carro próprio, com uma equipe reduzida – daí o nome “Caravana da coragem” - fazendo um corpo a corpo com o eleitorado e conversando com lideranças locais. Em Uberlândia, esteve na Câmara Municipal logo na abertura da sessão, visitou o prefeito Odelmo Leão e depois se reuniu com dirigentes partidários.

Além do trabalho em emissoras de TV no Brasil e nos Estados Unidos, Valéria Monteiro também foi modelo, atriz e atualmente tem uma produtora independente. A intenção de lançar a pré-candidatura foi motivada pela “situação trágica da política brasileira” e a “falta de espaço, de participação do cidadão comum”.

“Um dia eu acordei e fiquei desesperada com a possibilidade de tudo virar outra pizzaria, e eu estou alérgica a glúten. Essa pizzaria de políticos que não escutam o povo me deixou desesperada e pensei que poderia contribuir, me disponibilizando como essa voz do eleitorado que ficou órfão de representação”, conta.

Acostumada a cobrar providências e mostrar a realidade dos fatos, a jornalista disse estar preparada para entrar na linha de frente e mostrar o que, no seu entendimento, está sendo “manipulado”. “Sempre procurei a verdade, o jornalismo nos inspira a isso, e gostaria de levar isso, a condição de comunicadora, de jornalista, ao povo, e as formas como eu acredito que estamos sendo manipulados como cidadãos. Eu posso contribuir muito nesse sentido, de desvendar e esclarecer essas manipulações. Não tenho nada que eu me esquive de responder”, afirmou.

Sua plataforma de campanha ainda está sendo elaborada, mas a pré-candidata disse que, além da questão da desigualdade, sua campanha também irá reforçar a necessidade de investir mais em saneamento básico, na malha ferroviária como forma de escoamento da produção, mobilidade e fomento ao turismo, e na criação de uma agência de segurança para fazer a defesa e o controle das fronteiras do país.

Entre as reformas que ditam a pauta no Congresso há vários governos, ela cita como prioritárias em sua eventual gestão a tributária e a política eleitoral, que na sua avaliação deveria feita por um Congresso eleito exclusivamente para tal finalidade. Valéria acredita que sua caravana dará condições de debater essas e outras questões com o eleitorado, e conhecer de perto os problemas em cada localidade. “O que outros podem entender como fragilidade, nós utilizamos como força (...) Essa Caravana da coragem nos coloca em interlocução direta com as pessoas, a gente vê in loco o que está acontecendo. Queremos inspirar o eleitor a participar das eleições, a participar dessa transformação e acreditar que está nas mãos do povo essa mudança que a gente tanto clama por ela”, disse.
 
PERFIL
 
Modelo e bailarina, Valéria Monteiro, 52 anos, iniciou a carreira de jornalista em Campinas, numa afiliada da Rede Record. Em 1986 foi contratada pela Rede Globo para apresentar o RJTV, depois atuou como âncora do Fantástico e comandou o Jornal Hoje.

Foi a primeira mulher a apresentar o Jornal Nacional em 1992. Em Janeiro de 1994, foi capa da revista Playboy. Apresentou o programa GNT Fashion e depois atuou como atriz na minissérie Incidente em Antares. Em 1996 teve uma breve passagem pela Rede Manchete. Mudou-se para os Estados Unidos, onde trabalhou para o Discovery, Bloomberg (canal de notícias) e NBC. Voltou ao Brasil em 1999, contratada pela RedeTV!, onde apresentou a primeira fase do programa A Casa É Sua. Seu último trabalho na televisão foi como garota-propaganda da campanha eleitoral de José Serra.

Atualmente é dona de uma produtora independente chamada Toda América, e apresenta o programa Mondo na emissora de rádio carioca Paradiso FM.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »