28/02/2018 às 19h47min - Atualizada em 28/02/2018 às 19h47min

Servidores públicos fazem paralisações

ISABEL GONÇALVES E VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTERES

Servidores da Superintendência Regional de Saúde (SRS) paralisaram as atividades hoje, em Uberlândia. O movimento reivindica, dentre outras coisas, o cumprimento do reajuste salarial da categoria. Ainda hoje, servidores da Educação também interromperam as atividades em resposta à convocação do Sindicato do setor. Sete escolas tiveram as aulas suspensas (ver mais abaixo).

Além do reajuste, servidores da Saúde pedem o cumprimento de um termo assinado pelo governador Fernando Pimentel sobre a carga semanal de trabalho e isonomia, por meio de ajuda de custo, como concedida aos demais órgãos do governo.

Segundo o movimento, outras 28 regionais de saúde aderiram à paralisação, que aconteceu entre as 10h e 15h. Durante o período, os atendimentos prestados ao público, à imprensa e aos municípios foram suspensos. O serviço do Atendimento Farmacêutico, que engloba entrega de medicamentos, montagem de processos e atendimento ao público, aconteceu de forma normal.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde informou que “o secretário de Estado de Saúde em exercício, Nalton Sebastião Moreira da Cruz, reuniu-se com o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, na última segunda-feira (26), quando foram discutidas as reivindicações dos servidores da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Escola de Saúde Pública (ESP) e de todos os servidores da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Já está agendada para esta sexta-feira uma reunião entre representantes dos servidores e a Seplag”.

EDUCAÇÃO

Servidores da rede de ensino estadual de Uberlândia aderiram às paralisações convocadas pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE). De acordo com o movimento, uma escola da cidade ficou totalmente paralisada e outras seis tiveram as atividades suspensas de forma parcial. A cidade conta com cerca de 70 escolas estaduais.

A manifestação contesta dois reajustes do Piso Salarial descumpridos, o parcelamento do pagamento do 13º salário, adiamento do ano escolar, dentre outras demandas. No dia 19 de fevereiro, servidores já haviam paralisado as atividades em função dessas reivindicações.

Segundo a presidente do Sind-UTE local, Elaine Ribeiro, a adesão dos profissionais em Uberlândia foi menor neste segundo dia de mobilização. Ainda segundo ela, o sindicato em Uberlândia irá debater, no próximo sábado, o indicativo de greve para o dia 8, deliberado hoje durante assembleia estadual realizada em Belo Horizonte.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »