28/02/2018 às 12h13min - Atualizada em 28/02/2018 às 12h13min

Servidores da Saúde paralisam atividades nesta quarta

DA REDAÇÃO

Parte dos servidores da Superintendência Regional de Saúde (SRS) em Uberlândia paralisaram as atividades nesta quarta-feira (28). Segundo comunicado enviado à imprensa, o movimento pede o cumprimento do reajuste salarial da categoria, de um termo assinado pelo governador Fernando Pimentel sobre a carga semanal de trabalho e isonomia, por meio de ajuda de custo, como concedida aos demais órgãos do governo de Minas Gerais. Ainda de acordo com o informe, outras 28 regionais de saúde aderiram à paralisação, que acontece entre as 10h e 15h.

Durante esse período, os atendimentos prestados pelos servidores ao público, à imprensa e aos municípios estão suspensos. Segundo o comunicado, o serviço do Atendimento Farmacêutico, que engloba entrega de medicamentos, montagem de processos e atendimento ao público, acontece de forma normal.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde informou que “a paralisação não irá impactar nos serviços essenciais da Saúde, garantindo que a população de Minas não fique desassistida”. Na resposta, também foi explicado que, na segunda-feira (26), “o secretário de Estado de Saúde em exercício, Nalton Sebastião Moreira da Cruz, reuniu-se com o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, quando foram discutidas as reivindicações dos servidores da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Escola de Saúde Pública (ESP) e de todos os servidores da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Já está agendada para o dia 02 de março reunião entre representantes dos servidores e a Seplag”.

EDUCAÇÃO

Servidores da rede de ensino estadual de Uberlândia também aderiram, nesta quarta-feira (28), às paralisações convocadas pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE). De acordo com a coordenação da instituição em Uberlândia, uma escola da cidade ficou totalmente paralisada e outras seis tiveram as atividades suspensas de forma parcial. A cidade conta com cerca de 70 escolas estaduais.

ALMG

Na manhã desta quarta-feira (28), reuniões na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) debatem as reivindicações dos servidores estaduais, incluindo a área de saúde e educação, e a situação do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais - Ipsemg -, com a falta de repasse de recursos por parte do Poder Executivo, que vem impactando as condições de atendimento, o fornecimento de medicamentos básicos, atraso nos salários dos servidores, paralisação dos atendimentos e atraso na realização das cirurgias eletivas.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »