28/02/2018 às 11h23min - Atualizada em 28/02/2018 às 11h23min

Professores da rede estadual aderem à paralisação em Uberlândia

DA REDAÇÃO

Servidores da rede de ensino estadual de Uberlândia aderiram, nesta quarta-feira (28), às paralisações convocadas pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE). De acordo com a coordenação da instituição em Uberlândia, uma escola da cidade está totalmente paralisada e outras seis tiveram as atividades suspensas de forma parcial. A cidade conta com cerca de 70 escolas estaduais.

Não existe um levantamento de quantos alunos foram afetados ou um número de exato de professores e outros funcionários que aderiram à paralisação. A manifestação contesta o não cumprimento de acordos assinados pelo Estado, além do parcelamento do 13º salário dos servidores estaduais em quatro parcelas, falta de reajuste do piso salarial e a falta de atendimentos por parte do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). No dia 19 de fevereiro, parte dos servidores da educação já haviam paralisado as atividades em função dessas reivindicações.

Segundo a presidente do Sind-UTE local, Elaine Ribeiro, a adesão dos profissionais em Uberlândia foi menor nesse segundo dia de mobilização, mas uma caravana de servidores da região acompanha uma assembleia estadual com indicativo de greve de 2018 realizada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), nesta quarta-feira (28), em Belo Horizonte. Durante o encontro, que acontece a partir das 14h, no Pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), os trabalhadores e as trabalhadoras em educação vão cobrar do governo do Estado o cumprimento dos acordos assinados,  fim do parcelamento do 13º salário, pagamento do Piso Salarial de acordo com os acordos assinados e atendimento de qualidade pelo Ipsemg. “Vamos aguardar a movimentação dessa assembleia e pode sair a deflagração da greve. Se sair, vamos aderir. Caso não saia, vamos pressionar o governo para tentar uma negociação”, disse.

De acordo com Ribeiro, a Escola Estadual Teotônio Vilela, no bairro Planalto, é a única com paralisação total. As outras instituições com adesão parcial são: Escola Estadual Professor José Inácio de Sousa, Escola Estadual Enéas de Oliveira Guimarães, Escola Estadual Professor Ederlindo Lannes Bernardes, Escola Estadual Bom Jesus, Escola estadual Osvaldo Rezende e o Conservatório Estadual de Música.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) informou que "está acompanhando o andamento da paralisação da categoria convocada para hoje (28/02) pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE). Até o final do dia, a SEE vai emitir um balanço com o número de escolas e profissionais que paralisaram suas atividades".

SAÚDE

Partes dos servidores da Superintendência Regional de Saúde (SRS) em Uberlândia também paralisaram as atividades nesta quarta-feira (28). Segundo comunicado enviado à imprensa, o movimento pede o cumprimento do reajuste salarial da categoria, de um termo assinado pelo governador Fernando Pimentel sobre a carga semanal de trabalho e isonomia, por meio de ajuda de custo, como concedida aos demais órgãos do governo de Minas Gerais. Ainda de acordo com o informe, outras 28 regionais de saúde aderiram à paralisação, que acontece entre as 10h e 15h.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »