21/02/2018 às 17h12min - Atualizada em 21/02/2018 às 17h12min

PSDB vai ter candidatura própria ao governo de MG

Tucanos também querem assegurar palanque para reeleição de Aécio

RANIER BRAGON E TALITA FERNANDES | FOLHAPRESS
Nome do senador Antonio Anastasia é defendido por ala mineira e por Geraldo Alckmin para concorrer ao governo / Foto: Moreira Mariz/Agência Senado

Reunida na noite de terça-feira (20) em Brasília, a bancada de deputados federais do PSDB de Minas Gerais decidiu lançar candidato próprio ao governo do Estado com o objetivo de assegurar palanque para que o senador Aécio Neves tente a reeleição em outubro.

Segundo colocado na disputa à Presidência da República em 2014, o senador tucano sofreu um forte revés ao ser gravado pelo empresário Joesley Batista pedindo R$ 2 milhões.

Em junho de 2017, a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o senador por corrupção e obstrução da Justiça. O Supremo Tribunal Federal (STF) chegou a afastá-lo do mandato e determinar o seu recolhimento domiciliar noturno.

Em votação apertada (44 a 26), porém, o Senado derrubou essas medidas cautelares em outubro.

A decisão de lançar candidatura própria em Minas se deu após fracassar a tentativa de o PSDB fechar uma aliança com o DEM, que deve lançar o deputado federal Rodrigo Pacheco ao governo do Estado. A expectativa dos tucanos era que essa chapa abrigasse a candidatura de Aécio.

O nome do candidato tucano ao governo ainda não foi definido, mas pode ser também um deputado, Domingos Savio ou Marcus Pestana. Esse último afirmou que a situação de Aécio não foi discutida na reunião.

"Até 7 de abril muita coisa pode acontecer em termo de desincompatibilização de atores importantes e trocas de partidos. O jogo só está começando, mas os deputados federais tucanos resolveram se unir para ter voz ativa nas negociações. Consideram que precisam assegurar palanque forte para Geraldo Alckmin [presidenciável do partido] em Minas", disse o deputado.

Como senador, Aécio tem foro privilegiado e investigações relativas a ele tramitam no Supremo Tribunal Federal. Caso não consiga a reeleição, ele passa a ser alvo da primeira instância.

ANASTASIA

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou hoje que o senador Antonio Anastasia é um candidato "natural" do PSDB ao governo de Minas Gerais.
"Tem experiência, é um dos melhores gestores do Brasil e Minas precisa do Anastasia. É um quadro excepcional, une o partido e também os aliados", disse.

Em visita a Brasília, Alckmin se reuniu com a bancada mineira do PSDB da Câmara para discutir a situação do Estado. O encontro ocorre um dia depois de os deputados federais terem anunciado que o partido terá candidatura própria ao governo mineiro.

Segundo maior colégio eleitoral do país, Minas tem sido foco de atenção de Alckmin, favorito no partido para concorrer à Presidência da República.

O PSDB tem enfrentado dificuldades em encontrar uma candidatura no Estado por falta de nomes, já que Anastia resiste em disputar o cargo.

Nesta quarta, o presidente da divisão mineira do PSDB, deputado Domingos Sávio, disse que a candidatura é uma "missão" para Anastasia.

"Anastasia não vai ignorar isso. É uma convocação. A vida pública não se faz só de desejo pessoal. É uma missão", afirmou. "Se tem perspectiva dele resolver nosso problema em Minas Gerais, tem que tentar. Ele não precisa nem se licenciar do cargo (de senador), já que está na metade do mandato."

Alckmin também reconhece a resistência do senador em aceitar disputar o governo de Minas novamente. "Não vamos causar nenhum constrangimento a ele. Vamos aguardar sua decisão. Mas é um grande nome. Se depender de mim, estarei na linha de frente, porta-bandeira do Anastasia", declarou pouco antes de se reunir com o senador.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »