16/02/2018 às 05h19min - Atualizada em 16/02/2018 às 05h19min

Apenas 34% de vans estão vistoriadas

Com baixa procura por parte dos motoristas, Prefeitura vai prorrogar prazo até 28 de março

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Vistoria é obrigatória para prestação do serviço na cidade / Foto: Marco Crepaldi/Secom PMU

Apenas 34% do total de veículos de transporte escolar e também para fretamento em Uberlândia fizeram a vistoria neste início de 2018. O procedimento é obrigatório para que os estudantes sejam transportados no município, onde as aulas da recomeçam hoje. Por causa da baixa procura e da necessidade de haver veículos aptos a trafegarem, a Prefeitura vai prorrogar o prazo até o dia 28 de março. A data será confirmada em publicação no Diário Oficial do Município também nesta sexta-feira.

O prazo inicial para as vistorias foi de 15 de janeiro até a última quarta (14), mas dos 640 veículos esperados apenas 218 procuraram o setor de fiscalização da Secretaria de Trânsito e Transportes (Settran) para a vistoria. Segundo a diretoria de Fiscalização e Transportes, houve dias sem qualquer tipo de trabalho ou agendamentos da equipe das vistorias.

Caso o motorista não realize o procedimento, ficará impedido de prosseguir com suas atividades. O flagrante da situação pode render multa de R$ 321,47, além do processo que pode levar à cassação da permissão de transporte pelo Município.

Uma série de fatores pode explicar a baixa procura dos motoristas, inclusive o prazo maior que houve em 2017 e a cultura de espera por uma prorrogação. “Um decreto de 2016 estipulou 60 dias de prazo para as vistorias (em 2017), o que se transformou em 90 dias com prorrogação”, disse o diretor de Fiscalização e Transportes, Ubiratan Floriano. Ele cita também outros problemas que poderiam levar à dificuldade nas vistorias, como cursos obrigatórios em atraso, a exemplos dos de primeiros-socorros e transporte de passageiros, habilitações com pendências, impostos atrasados ou até demandas mecânicas dos veículos.

Ubiratan Floriano ainda explicou que, por enquanto, os motoristas e proprietários de vans poderão trafegar até que a vistoria seja finalizada no próximo mês. Entretanto o coordenador também salientou que essa é a chance final dos condutores e que os pais devem estar atentos. A indicação é que após o prazo de prorrogação, os responsáveis pelos estudantes façam a verificação junto à Settran da situação do veículo antes de contratar os serviços. A atualização do cadastro do transporte pode ser verificada pelo telefone 3231-5634, entre 12h e 18h, de segunda a sexta-feira.

A VISTORIA

O processo de vistoria das vans escolares em Uberlândia ocorre por exigência do decreto lei 7.328 de 1997 - dispositivo que foi implementado à época para garantir a segurança dos alunos da cidade. Os veículos que necessitam ser verificados são tanto aqueles que atuam na zona rural por meio de cooperativas quanto aqueles particulares que prestam o serviço na área urbana. Os proprietários das vans precisam, inicialmente, procurar o Núcleo de Serviços de Taxi e Transportes Diversos, na rua Maria Dirce Ribeiro, 476, bairro Santa Mônica, onde devem apresentar a documentação. O passo seguinte é agendar um horário pelo telefone 3210-6923. O trabalho ocorre em um galpão com a estrutura adequada para a vistoria, localizado na avenida Afonso Pena, 4.814, no bairro Umuarama.

REDE MUNICIPAL

Aulas recomeçam hoje para mais de 61 mil alunos

Mais de 61 mil alunos matriculados na rede municipal voltam hoje às aulas. Ontem, reuniões pedagógicas em 122 unidades municipais foram realizadas com o objetivo de finalizar a preparação dos profissionais.

A secretária municipal de Educação, Célia Tavares, explicou que nas reuniões foram apresentadas as diretrizes do calendário escolar a professores, educadores e demais servidores envolvidos no ensino – ao todo são mais de 9,5 mil profissionais.

Segundo previsão da pasta, até segunda-feira (19), todas as escolas terão recebido os kits de materiais escolares, que devem ser entregues aos estudantes nas primeiras semanas de aula, após o período de adaptação dos alunos. Os conjuntos possuem objetos específicos para cada faixa etária, sendo unidades diferenciadas para educação infantil (0 a 3 anos), educação infantil pré-escola (4 e 5 anos), anos iniciais (1º ao 5º ano), anos finais (6º ao 9º ano) e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

PEQUIS E MONTE HEBRON

Como a Fundação Filadélfia ainda não foi autorizada a assumir a gestão das novas escolas dos bairros Pequis e Monte Hebron, ambos na zona oeste, os alunos que começariam o ano letivo nas novas unidades foram remanejados a outras escolas da região.

Os estudantes de ambos os residenciais serão levados às mesmas unidades dos bairros vizinhos em que já eram matriculados no ano passado, onde começarão o ano letivo normalmente. O transporte gratuito é feito pela Prefeitura. Os veículos passarão nos pontos designados entre às 6h e 6h15 para as aulas do turno da manhã, além de 12h e 12h15 para as aulas da tarde.

“Já fizemos reuniões com representantes dos residenciais, para tirarmos todas as dúvidas e orientar a população sobre tudo. O mais importante é que esses alunos seguem matriculados nas escolas que já estudavam no ano passado, o que vai garantir a volta às aulas aos estudantes”, afirmou. Mais informações a respeito do transporte dos alunos podem ser obtidas no número 3239-2824.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »