29/01/2018 às 18h27min - Atualizada em 29/01/2018 às 18h27min

Morumbi recebe a 1ª etapa de ação de limpeza urbana

Equipes fazem capina, roçagem, varrição e outros serviços no bairro

DA REDAÇÃO
Ação mobiliza 38 tratores, 4 retroescavadeiras, 2 pás carregadeiras, 12 caminhões convencionais e 5 caminhões basculantes / Foto: Araípedes Luz/Secom/PMU
 
A Prefeitura de Uberlândia iniciou hoje o cronograma de 2018 do programa Cidade Limpa, que concentra ações de zeladoria e limpeza urbana nos bairros. Cerca de 260 servidores foram deslocados para o bairro Morumbi, na zona leste, para ações de capina, roçagem, varrição, limpeza de bueiros e canteiros centrais, recolhimento de entulhos e pneus, além de sinalização de trânsito.

Realizada de forma conjunta, a ação envolve as equipes das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico, Saúde, Obras e Trânsito e Transportes (Settran), além do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae).

Nesta primeira etapa, os serviços contemplam ainda a região do Residencial Integração, na zona leste do município, de onde vão seguir para os bairros Canaã, na zona oeste, e Roosevelt, na zona norte. Todas as regiões de Uberlândia também serão contempladas com a iniciativa.

Apenas para a roçagem de lotes e canteiros, a ação mobilizará 38 tratores, com quase 90 servidores envolvidos. Outros 30 profissionais atuarão com auxílio de quatro retroescavadeiras, duas pás carregadeiras, 12 caminhões convencionais e cinco caminhões basculantes.

Segundo o assessor da Secretaria de Meio Ambiente, Mário Faria, a expectativa é que os trabalhos alcancem resultados similares ao de 2017, quando mais de 120 mil toneladas de resíduos foram recolhidas e 22 mil bueiros foram limpos pelo Município.

“Nosso objetivo é contemplar o maior número de locais do município, com 38 tratores, cata-treco, maquinário e equipes mobilizadas. É um trabalho de suma importância, principalmente para a preservação do meio ambiente e da saúde do cidadão”, destacou.

Outro destaque das ações é para o trabalho do CCZ, que mobiliza mais de 40 servidores para visitas domiciliares, orientações e auxílio na localização de possíveis focos do mosquito transmissor.

“As pesquisas mostram que a 81% dos focos estão nas residências, da porta de casa para dentro. Por isso, pedimos principalmente para que os moradores liberem aquele objeto que pode se tornar um criadouro para o recolhimento. Quanto antes retirarmos esse possível criadouro, menor a chance de transmissão e mais fortalecido o município estará contra o mosquito. É um trabalho constante, que se estende por toda a cidade, e precisamos do envolvimento de todos”, ressaltou.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »