18/01/2018 às 19h54min - Atualizada em 18/01/2018 às 19h54min

Reunião traça ações contra a febre amarela

Doença já matou 16 pessoas em Minas Gerais; secretarias definem estratégias para vacinar populações

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Encontro juntou as municípios das Regionais de Saúde de Uberlândia e Ituiutaba / Foto: Vinícius Lemos

Vinte e sete secretários e representantes de secretarias municipais de saúde estiveram hoje em Uberlândia para alinharem ações contra a febre amarela. A reunião, que englobou Municípios de duas superintendências regionais de saúde (SRS) de Minas Gerais, fez parte da força-tarefa para combate da doença em regionais que tiveram qualquer tipo de suspeita da doença ou que têm cobertura vacinal abaixo de 95% da população. Na SRS de Uberlândia, esse índice está em 86,8%.

O encontro de hoje juntou as regionais de Uberlândia e Ituiutaba, sendo a primeira com 18 municípios e a segunda, com outros nove. Nenhum deles teve confirmações de febre amarela em humanos neste ano, de acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Minas Gerais. A cobertura vacinal em Uberlândia hoje é de 90%. A cidade figura entre 50 cidades em estado de atenção em relação à febre amarela em Minas, mas que não conseguiram confirmar as causas de mortes de macacos encontrados em seus territórios. A morte dos animais pode indicar a presença do vírus.

Em todo os Estado já foram confirmadas 16 mortes decorrentes da doença, sendo que a última foi a do presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos (ler abaixo). Outros 46 casos continuam sob investigação.

De acordo com a subsecretária de gestão regional, da Secretaria de Estado de Saúde, Márcia Faria, qualquer suspeita é tomada como motivo para intensificação da vacinação. “O objetivo é prevenir casos em humanos e a vacina é a melhor opção”, disse. Apenas uma dose da vacina já é o bastante para imunizar uma pessoa.

UBERLÂNDIA

A prioridade na vacinação contra a febre amarela em Uberlândia é a zona rural, contudo, estima-se que mais de 60 mil pessoas tenham que ser imunizadas no Município.

A coordenadora do Programa de Imunização de Uberlândia, Cláubia Oliveira, diz que a intenção é sensibilizar as comunidades e atingir 100% da população, indo além do mínimo preconizado pelo Estado. “Nossa estratégia é priorizar a vacinação da zona rural e nós iremos atrás, de casa a casa, como em 2017”, disse.

CAPINÓPOLIS

A resistência da população em geral impede que a população de Capinópolis atinja os 95% de cobertura vacinal, segundo a secretaria de Saúde. “(Isso acontece) Principalmente na zona rural, que tem a suposta ideia de que a vacina faz mal. Além de ser difícil chegar às casas rurais”, afirmou a secretária Sandra Barbosa.

A estratégia neste caso é visitar a região rural até mesmo durante os finais de semana, quando, em tese, é mais fácil encontrar os moradores para o trabalho de sensibilização e imunização. Hoje, 93% da população do município está vacinada e, no ano passado, a morte de um macaco foi descartada como sendo causada por febre amarela.

16ª VÍTIMA

Febre amarela mata presidente da EMC em BH

O presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu às 7h30 de hoje em Belo Horizonte. Músico, produtor e compositor, ele estava internado desde o dia 11 no Hospital Mater Dei, onde foi diagnosticado com febre amarela. Em nota, a rede hospitalar confirmou que a morte resultou de uma complicação derivada da doença.

Flávio Henrique Alves de Oliveira tinha mais de 180 músicas gravadas, repertório construído na companhia de nomes como Paulo César Pinheiro, Chico Amaral, Milton Nascimento e Toninho Horta. Em sua carreira, lançou um DVD e oito CDs autorais, sendo Zelig o mais recente, de 2012.  Ele era integrante do quarteto Cobra Coral, em que ficava entre o microfone, as cordas do violão, o piano e o teclado.

A Empresa Mineira de Comunicação foi criada no ano passado, quando passou a administrar a Rádio Inconfidência e a Rede Minas. Fundada por Tancredo Neves, a Rede Minas é uma emissora pública que distribui conteúdo a 765 municípios mineiros, por meio de estações retransmissoras, de prefeituras e de 50 TVs educativas afiliadas.

A Secretaria de Cultura de Minas Gerais prestou condolências à família do músico, referindo-se a ele como "uma pessoa leal e digna". "Seu sorriso, seu jeito carinhoso, sua dignidade e sua música ficam marcadas em nossa memória e em nossos corações", escreveu a pasta em um recado em que destaca que, em breve, informará detalhes sobre o velório e o enterro.
 
FEBRE AMARELA EM MINAS GERAIS

16 mortes confirmadas*
46 casos em investigação*

(*Nenhum caso em Uberlândia)
 
Cobertura Vacinal
SRS Uberlândia - 86,82%
Município de Uberlândia – 90,01%
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »