11/01/2018 às 19h25min - Atualizada em 11/01/2018 às 19h25min

Educação vai terceirizar escolas do Pequis e Hebron

Fundação Filadélfia deve assumir as duas unidades na zona oeste

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
As unidades serão as primeiras do ensino fundamental a serem geridas por entidade / Foto: Walace Torres

Escolas dos bairros Monte Hebron e Pequis, ambos na zona oeste da cidade, serão as primeiras de ensino fundamental da rede municipal de Uberlândia a serem terceirizadas. A decisão, segundo a Prefeitura, foi devido ao alto gasto do orçamento com folha na pasta da Educação. A expectativa é que a Fundação Filadélfia assuma as escolas, mas o processo ainda não foi formalizado.

A secretária de Educação, Célia Tavares, explicou que as escolas dos dois bairros foram entregues em dezembro à Prefeitura e que agora é preciso preparar a abertura das unidades. Para preservar as finanças, a decisão foi ampliar a rede conveniada de instituições de ensino, uma vez que a quantidade de servidores na Educação cobriria 70% da folha do Município. “Nós temos um limite na Lei de Responsabilidade Fiscal, o que impede mais contratações”, disse a secretária.

Atualmente, 32 escolas da rede municipal de ensino são atendidas por meio de instituições conveniadas, sendo todas até agora de ensino infantil. A inclusão das escolas de 1º ao 9º anos do Pequis e Monte Hebron nesse tipo de convênio, segundo Célia Tavares, não vai influenciar no processo seletivo feito pelo Município para as demais unidades municipais. Ela disse que são 2 mil vagas entre corpo docente, setor administrativo e manutenção, que foram abertas e dependem de ranqueamento e futura designação, o que não possibilita a escolha da escola para atuação.

A formalização da entidade que assumirá as escolas dos novos bairros acontecerá nos próximos dias, uma vez que as aulas voltam em fevereiro para o atendimento de 24 turmas. Além das duas escolas de ensino fundamental, nos bairros Pequis e Hebron também há duas de ensino infantil que também devem ser atendidas por entidades a serem conveniadas.

FUNDAÇÃO FILADÉLFIA

Entidade prevê contratação de 100 profissionais

Desde quarta-feira (10), um edital da Fundação Filadélfia de seleção de currículos que circula nas redes sociais vem despertando críticas por não ter sido feito como um processo seletivo municipal a exemplo das demais escolas. O comunicado selecionava profissionais entre os dias de 2 e 8 de janeiro, mesmo sem que o contrato tivesse sido firmado com a Prefeitura.

O presidente da entidade, Neemias Miqueias Silva Soares, explicou que o edital é um cadastro de reserva, uma vez que as negociações com o poder público estão adiantadas.

“Como existe a possibilidade de assumirmos as escolas, divulgamos o edital. Inclusive continuamos a receber currículos. Se não for para atender a Prefeitura, os nomes ficam no nosso cadastro para outras atividades”, disse Neemias Soares.

Ele ainda afirmou que no convênio, a entidade tem a autonomia de contratação. Ao todo ele estima que mais de 100 profissionais sejam contratados nas duas escolas de ensino fundamental.

Com o convênio firmado, a instituição recebe recursos do Município como contrapartida da gestão das unidades escolares. Atualmente a Fundação Filadélfia administra o Centro de Tecelagem Fios do Cerrado, três escolas de ensino infantil do Município, além de ter credenciado um consultório odontológico para prestação de serviços.

SELEÇÃO

Segundo a secretária de Educação, as entidades interessadas em gerir as escolas apresentaram documentação e deveriam ter experiência no atendimento no ensino fundamental. A Fundação Filadélfia foi uma das que se mostraram aptas para o trabalho. “Por vários meses fizemos as consultas, propostas e depois avaliamos as condições”, disse Célia Tavares.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »