07/01/2018 às 05h03min - Atualizada em 07/01/2018 às 05h03min

Ano fechou com saldo de 543 novas empresas

Resultado apurado em Uberlândia em 2017 é 68% melhor que no ano anterior

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Helena de Freitas disse que Uberlândia segue tendência sentida no Estado / Foto: Vinícius Romario

 

Uberlândia fechou o ano de 2017 com um saldo de 543 novas empresas abertas. Durante os 12 meses, 2.273 negócios foram criados na cidade enquanto outros 1.730 foram extintos. O resultado é 68% melhor que no ano de 2016, quando houve a abertura de 2.284 negócios e o fechamento de outros 1.962. Atualmente, são 37.525 empresas ativas na cidade. Os dados são da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg).

Segundo a supervisora do escritório regional da Jucemg em Uberlândia, Helena de Freitas, a cidade tem seguido uma tendência sentida em todo o Estado. “O número de extinções de empresas têm diminuído e o período de sobrevivência desses negócios aumentado. Isso mostra que os empreendedores têm buscado mais capacitação e investido em negócios mais fortes”, afirmou.

Ainda de acordo com ela, outro fator que tem contribuído para a melhoria do cenário é a estabilização da economia. “O mercado está numa crescente novamente. Com essa alavancada podemos esperar resultados melhores para o futuro e o surgimento de novos empreendimentos”, ressaltou Helena de Freitas.

Esse cenário também é apontado pelo secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Dílson Dalpiaz. De acordo com ele, também é importante ligar os resultados à criação de emprego. “Tivemos 60% a mais de vagas criadas de empregos em 2017 em relação a 2016. No Estado, esse número foi de 43%. Uberlândia está ajudando a melhorar os resultados de Minas Gerais”, afirmou Dalpiaz.

Ele ainda analisou os resultados dos anos anteriores, quando a economia estava em baixa e os números eram ruins. “No período entre 2013 e 2015 muitas pessoas perderam seus empregos e tentaram ingressar no mercado como empreendedores, mas, por faltar experiência nessa área ou por falta de capacitação, muitos empreendimentos tiveram vida curta, o que ajudava a aumentar os registros de empresas extintas.”

Sobre 2018, o secretário disse que espera índices de mercado ainda melhores. “Os setores de comércio e serviços tiveram grande representatividade nos números de 2017, cerca de dois terços dos negócios abertos. Uberlândia também é forte na indústria e acredito que seja o setor que deve apresentar bons resultados para esse ano que se inicia”.

 

ESTADO

O resultado de criação de novas empresas também apresentou crescimento em todo o Estado. De acordo com a Jucemg, o saldo de novas empresas criadas em Minas Gerais no ano passado foi de 12.133. Durante o ano foram abertos 41.043 negócios no Estado e 28.910 foram fechados. O resultado é 261% melhor que o ano de 2016, que fechou com saldo de 3.352 novas empresas. Naquele ano foram criados 39.987 empreendimentos em toda Minas Gerais e outros 36.635 foram extintos. Ainda segundo a Jucemg, atualmente, são 728.049 empresas ativas no Estado.

 

UBERLÂNDIA

Empresários se basearam em pesquisa para abrir negócios

A empresária Aline de Souza Allonso e outros três sócios resolveram investir no setor de franquia em 2017 e abriram, em novembro, no bairro Luizote de Freitas, um estabelecimento que vende açaí, o primeiro da rede em Minas Gerais. “A própria empresa nos apresentou um estudo de onde deveríamos investir e Uberlândia apareceu entre as principais cidades do País”, afirmou.

Sobre os resultados, a empresária ressalta que a escolha foi certa, pois os sócios abrirão a segunda unidade já em fevereiro deste ano, no Centro da cidade. “Inicialmente, queríamos um bairro mais populoso, e o Luizote foi a melhor opção. O mercado tem mostrado bons resultados e já iremos abrir a segunda loja, além de haver também o planejamento de uma terceira.”

A maior cidade do interior de Minas Gerais também foi escolhida para sediar a primeira unidade de uma escola de inglês com matriz em Brasília (DF). O investimento em Uberlândia foi de aproximadamente R$ 6,4 milhões. “O próximo passo da empresa é ser reconhecida nacionalmente. Para isso, fizemos uma pesquisa e Uberlândia ficou entre as seis melhores para um novo investimento. Viemos até a cidade, e, após novos estudos, resolvemos nos estabelecer aqui”, disse a gerente da unidade, Vanessa Garcia.

Ela conta ainda que outra preocupação da empresa foi contratar profissionais locais. “A gente valoriza a mão de obra local e os processos de contratação já estão em andamento”.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »