12/12/2017 às 15h52min - Atualizada em 12/12/2017 às 15h52min

Justiça Federal recebe sindicatos após demissões

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER

Representantes dos trabalhadores e das empresas do transporte coletivo de Uberlândia estiveram ontem na Justiça Federal para entregar documentos referentes a uma ação movida pelos empregados. A intenção do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Uberlândia (Sinttrurb) é barrar o processo de demissões de cobradores iniciado em setembro pelas empresas.

O presidente do Sinttrurb, Márcio Dúlio de Oliveira, afirma que cerca de 300 cobradores já foram despedidos. As demissões começaram depois que as empresas de transporte público passaram a utilizar, em algumas linhas, o sistema de bilhetagem eletrônica de forma exclusiva.

Ainda segundo Oliveira, as empresas têm desrespeitado duas condições: um acordo da convenção coletiva que previa um número fixo de postos de trabalho e a restrição às demissões em massa, que foi acordado na Justiça.

“São previstos cerca de 850 postos de trabalho fixo para os cobradores, mas com as demissões esse número é de cerca de 550. Também não poderia haver demissão em massa, mas todo dia aproximadamente dez cobradores são desligados”, afirmou Oliveira.

As partes entregaram os documentos e o juiz afirmou que só se pronunciará sobre o caso após tomar conhecimento dos fatos. Uma nova audiência foi marcada para o dia 2 de março do ano que vem.

De acordo com presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo (Sindett), José Luiz Rissato, o processo de demissão dos funcionários continua de modo gradual. No entanto, ele não confirmou o número de cobradores desligados. “Tudo tem sido feito como ficou acordado entre as duas partes. Vamos esperar a decisão da Justiça”, disse. 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »