08/12/2017 às 13h46min - Atualizada em 08/12/2017 às 13h46min

Empresa digital se instala em Uberlândia

Social Bank é uma plataforma financeira operada por aplicativo e permite conexão entre clientes

WALACE TORRES | EDITOR
Rodrigo Borges, CEO da empresa (ao centro), entregando um cartão ao empresário Rogério Nery / Foto: Valter de Paula

 

Com um investimento de R$ 50 milhões, a empresa Social Bank está transferindo sua sede de São Paulo para Uberlândia e começa a operar em janeiro de 2018 com a perspectiva de gerar 100 empregos diretos e outros 250 indiretamente. A empresa é considerada uma fintech, ou seja, utiliza tecnologias inovadoras para tornar a prestação de serviços financeiros e bancários mais acessíveis à população. Cerca de R$ 15 milhões já foram investidos em infraestrutura tecnológica, outros R$ 6 milhões estão sendo aplicados na estrutura predial a ser implantada num imóvel no bairro Lídice, e o restante serão investidos em pessoal, marketing e comunicação.

O Social Bank é a primeira empresa no mundo com o portfolio baseado no sistema P2P, que prevê a descentralização das funções convencionais de rede e faz com que o usuário conectado compartilhe dados e execute serviços de qualquer lugar. Trata-se de uma plataforma financeira 100% digital onde o cliente pode efetuar suas transações através de um smartphone, a começar pela abertura da conta. O número da conta é o próprio número do celular da pessoa, o que facilita as transações entre clientes. Uma das inovações do Social Bank é a desintermediação financeira. Por meio do aplicativo, um cliente pode pedir dinheiro emprestado a outro cliente sem a interferência do banco. “Quando você desintermedia essa cadeia você consegue trazer um retorno maior para quem empresta e um juro menor para quem toma o empréstimo”, disse o CEO da empresa, Rodrigo Borges, durante entrevista coletiva após o anúncio do investimento, feito ontem em solenidade no Centro Administrativo Municipal. Ele explicou que no caso dos empréstimos cabe aos próprios envolvidos a definição de taxas e quantidade de parcelas.

O Social Bank, que já conta com mais de 25 mil clientes cadastrados, também oferece os serviços tradicionais de um banco, como pagamentos, depósitos, saques, recebimentos, DOC e TED. As operações físicas, como saques em dinheiro, são feitas nas agências lotéricas e bancos 24h por meio do cartão Mastercard de uso internacional. Segundo Rodrigo Borges, o banco não empresta dinheiro e não intermedia a relação entre clientes. O lucro vem da comissão recebida pela utilização do cartão. Ele afirma ainda que o banco não cobra anuidade e nem mensalidade, já as taxas de operação têm custos menores que as praticadas no sistema convencional.

A empresa também oferece um clube de descontos gratuito, com mais de 15 mil estabelecimentos, e permite pagamentos através de QR Code e transações por comando de voz com validação por biometria.

A empresa conta ainda com a principal certificação internacional de segurança, além de ter suporte tecnológico que faz toda análise de risco e monitoramento.

 

UBERLÂNDIA

A transferência para empresa para Uberlândia não foi por acaso. Rodrigo Borges, um dos sócios, é natural de Uberlândia e criou sua primeira empresa aos 17 anos, um classificado virtual de veículos. Há 15 anos deixou a cidade em busca de novos desafios. “Meu sonho sempre foi ser um banqueiro, mas não como a gente vê hoje, e sim um banqueiro social”, diz. “O Social Bank tem um propósito mais igualitário e pautado no empoderamento das pessoas. Carregar esse desafio em Uberlândia é uma honra”, completou.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Dílson Dalpiaz, Uberlândia conta hoje com um ambiente propício aos negócios. “Nós temos infraestrutura física, acadêmica, qualidade de vida e acima de tudo empreendedorismo”, disse, citando que Uberlândia é a quarta cidade do país com maior número de startups por habitantes. “O capital está disponível e ávido para se instalar em qualquer lugar do mundo. E ele procura exatamente aquele lugar que lhe oferece as melhores condições para aquele momento e a sua visão de futuro”, completou.

 

MAIS INVESTIMENTO

Durante o anúncio da vinda do Social Bank para Uberlândia, o prefeito Odelmo Leão também confirmou a implantação de um novo centro de distribuição na cidade no próximo ano. Odelmo não adiantou o nome da empresa e nem o segmento de atuação, apenas adiantou que se trata de um empreendimento de grande porte de empresa que já tem atuação na cidade. O anúncio deverá ser feito em janeiro.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »