05/12/2017 às 08h43min - Atualizada em 05/12/2017 às 08h43min

Atenção Domiciliar do HC promove festa a pacientes

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Evento solidário reuniu familiares e crianças com ventilação mecânica / Foto: Vinícius Romario

 

Profissionais do Serviço de Atenção Domiciliar do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (SAD/HC-UFU) realizaram, ontem (4), uma festa para 39 pacientes mirins. O evento celebrou 10 anos da data em que a primeira criança que necessitava de ventilação mecânica para respirar recebeu autorização para continuar o tratamento em casa.

A festa, promovida por meio de doações da comunidade, ofereceu doces, bolo, brinquedos e diversas atividades para os pacientes e familiares. Houve também a organização para que os pacientes acamados pudessem estar no local. Estiveram presentes e foram homenageados promotores dos ministérios públicos Federal (MPF) e Estadual (MPE), além do cantor Leo Chaves, da dupla Victor & Leo.

Atualmente SAD/HC-UFU atendente 120 pacientes a domicílio, sendo 39 deles crianças. Desses, 20 pacientes necessitam da ventilação mecânica e outros 19 fazem uso do oxigênoterapia. “Temos uma equipe grande formada por todos os tipos de profissionais da saúde, que visitam semanalmente todos os pacientes”, afirmou Vinicius Pafume Oliveira, coordenador do SAD.

A equipe foi formada em 1996, e, até 2007, atendia pacientes de menor complexidade. Há dez anos, por meio de uma ação judicial, uma mãe conseguiu que o filho pudesse continuar o tratamento em casa, instalando um equipamento de ventilação mecânica no domicílio.

Esta mãe foi Eliane de Moura Ramos, cujo filho Lucas faleceu em 2012, aos 10 anos de idade. Ele tinha uma doença muscular e necessitava da ventilação mecânica. Ela conta que, antes de conseguir levar o filho para casa, passou cerca de quatro anos vivendo na pediatria do HC-UFU. “Decidi procurar a Justiça e com muita luta foi possível levar o Lucas para continuar o tratamento em casa. Sem a Justiça não seria possível, pois todo o equipamento custava cerca de R$ 100 mil. Também tenho que agradecer a todos os membros da equipe do SAD”, disse Eliane Ramos.

Mãe da Maria Clara Alfredo, que completa 1 ano amanhã, Pamela Poliana Alfredo também agradece à SAD por poder estar com a filha em casa. Ela tem uma síndrome e teve falência pulmonar. Após quatro meses no hospital pôde ir para a casa com o auxílio da ventilação mecânica. “Os médicos deram seis meses de vida para ela e já vai completar um ano. Vamos vivendo um dia por vez e com fé”, afirmou Pamela Alfredo.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »