18/11/2017 às 08h18min - Atualizada em 18/11/2017 às 08h18min

Uberlândia pode ficar sem o Terminal Aeroportuário

Previsto para começar a operar neste ano, projeto não foi nem licitado

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Previsão era que terminal de cargas de Uberlândia entrasse em operação neste ano / Foto: Divulgação/Infraero

 

Previsto inicialmente para ter suas atividades iniciadas até dezembro deste ano, o terminal de cargas no Aeroporto Tenente-Coronel Aviador Cesar Bombonato, em Uberlândia, não foi licitado e não há prazo para que isso aconteça. Ao mesmo tempo, o projeto é ameaçado de sequer sair do papel depois da assinatura de outorga do chamado Aeroporto Internacional de Cargas e Passageiros do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, em Uberaba. A dúvida é se existe demanda para dois projetos parecidos na região.

A expansão do Aeroporto de Uberlândia chegou a ter o interesse de duas empresas durante uma primeira tentativa de licitação, ainda em janeiro de 2016. Contudo, durante o processo, não houve a participação nem mesmo dos grupos empresariais que prospectaram o projeto inicialmente. 

Mais recentemente, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou à reportagem do Diário do Comércio que o projeto inicial passava por readequações “dentro das premissas encontradas nas novas análises realizadas, que consideraram dados levantados junto ao mercado, agregando também novas oportunidades de negócios ao projeto. O objetivo é garantir que a nova licitação seja bem sucedida”. 

De lá para cá houve pelo menos um indicativo de que uma nova licitação poderia acontecer, o que não houve de fato. O status é o mesmo do início do ano passado e os investimentos nessa área mudaram de direção. 

Ainda de acordo com a Infraero, “após a primeira licitação restar deserta para Uberlândia, o projeto retornou para análise interna e, diante do cenário econômico nacional e da restrição de recursos para investimentos, optou-se por iniciar primeiro uma fase de projetos de concessão de Complexos Logísticos da Rede Infraero sem investimentos”. Dessa maneira, passaram na frente de Uberlândia empreendimentos de Goiânia, Curitiba, Recife, São José dos Campos, Vitória e Manaus, “sendo que os três primeiros já operam sob gestão do concessionário privado e os últimos três estão em fases distintas de contratação/ licitação”.

 

O TERMINAL

Com a expansão do aeroporto de Uberlândia, que foi anunciado em setembro de 2015, as atividades de transporte de cargas passariam a ser tocadas pela iniciativa privada. O investimento previsto para o terminal era de R$ 41 milhões, que seriam usados na construção de galpões modulares flexíveis, além de áreas administrativas, operacionais e de movimentação, aproveitando a proximidade com a ferrovia e de rodovias, como as BRs 452 e 050. 

O projeto envolve o atual terminal de cargas e a construção de um condomínio logístico trimodal, que vai interligar os transportes aéreo, ferroviário e rodoviário em uma área de 50 mil m², que poderá ser expandida para 200 mil m².

 

AEROPORTO INTERNACIONAL

Em Uberaba, o investimento será 100% privado

O chamado Aeroporto Internacional de Cargas e Passageiros do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, que será construído em Uberaba, terá investimento unicamente privado, inclusive na operação. A área para implantação do aeroporto fica na rodovia BR-050, próximo ao KM 116, ao lado do Terminal Integrador da VLI. 

O projeto destaca a integração Rodo-Aéreo-Ferroviária, a Zona de Processamento de Exportação (ZPE), o EADI (Porto Seco), assim como a proximidade com terminais de cargas localizados em Campinas e Guarulhos.

Durante a assinatura do convênio de outorga com Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil para exploração do Aeroporto, no dia 7 deste mês, em Brasília, o diretor do Departamento de Outorgas e Patrimônio da Secretaria Nacional de Aviação Civil, Ronei Saggioro, declarou que o projeto é um passo importante para uma estrutura estratégica para Brasil, uma vez que se integra a uma rodovia importante, duplicada, e, com o modal ferroviário e aeroportuário, irá transformar a região em um polo de logística.

A expectativa é de atendimento de 70 municípios. Durante a assinatura, o prefeito de Uberaba, Paulo Piau, buscou o apoio da região para a execução do aeroporto. “O primeiro passo foi dado. Não é um projeto apenas de Uberaba, mas um projeto de desenvolvimento regional”, afirmou. 

Não foram divulgadas informações como área, previsão de início das atividades e o investimento a ser feito. Os próximos andamentos incluem modelagem, complementação do estudo de viabilidade e plano de negócios.

 

OU UM OU OUTRO

Especialista não espera dois terminais na região

O anúncio e a assinatura da outorga para um novo aeroporto de cargas e passageiros em Uberaba pode ter deixado ainda mais distante a execução do projeto de expansão do Aeroporto de Uberlândia para as mesmas atividades, pelo menos como concebido inicialmente.

A constatação, segundo o coordenador do curso de Logística do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) em Uberlândia, Ricardo de Sena Abrahão, se dá pela demanda que existe na região, que seria atendida com apenas um aeroporto do tipo. “Lógico que ainda depende do porte e da capacidade do terminal, mas ainda assim imagino que um aeroporto exclui o outro”, disse.

Ele ainda ponderou que precisaria de dados concretos da demanda em Uberaba para afirmar categoricamente sobre a necessidade ou não de outro espaço aeroviário de cargas. Ricardo de Sena lembrou também que ainda que exista uma perna rodoviária entre as duas cidades, e que isso crie algum custo para empresas locais, o terminal em Uberaba, de qualquer forma, ajudaria na distribuição local.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »