10/11/2017 às 05h14min - Atualizada em 10/11/2017 às 05h14min

Professores e técnicos paralisam atividades

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER

Professores e técnicos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) aderiram ao movimento de paralisação nacional, que acontece hoje, contra propostas do Governo Federal. Entre os pontos em que os servidores são contra estão a suspensão da correção salarial, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores públicos e a reforma da Previdência.

Além da paralisação, o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições Federais de Ensino Superior de Uberlândia (Sintet) marcou duas atividades para hoje. A primeira acontecerá às 9h na porta do Hospital de Clinicas (HC-UFU). O motivo, de acordo com o assessor de política sindical Alexandre Igrecias, é o corte do pagamento da taxa de insalubridade aos profissionais que trabalham nessa situação.

Há também, por parte do Sintet, a possibilidade de greve, que será debatida no dia 16, às 14h, no campus Santa Mônica. “Nossa federação entra em greve amanhã [hoje] e mais de 20 universidades federais já aderiram. Iremos debater se também paralisaremos por tempo indeterminado”, afirmou Igrecias.

A segunda atividade acontecerá às 14h em conjunto com a Associação dos Docentes da UFU (Adufu) na Reitoria, no campus Santa Mônica. Alunos e outros movimentos sociais também participarão desse momento. “Iremos debater a situação em que nos encontramos. O governo que acabar com direitos conquistados pelos trabalhadores”, disse o presidente da Adufu, Benerval Pinheiro Santos.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »