27/10/2017 às 05h52min - Atualizada em 27/10/2017 às 05h52min

Começam as vendas de Natal e comerciantes estão otimistas

Alguns estabelecimentos já iniciaram as contratações temporárias

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Loja em que Sandra Helena trabalha já iniciou contratações temporárias / Foto: Vinícius Romario

 

A dois meses do Natal, lojistas se mostram otimistas e confiantes com as vendas para a data, período em que, historicamente, o mercado fica aquecido. De acordo com a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Uberlândia, pesquisas nacionais apontam para expectativa de crescimento de 3% nas vendas, comparado a períodos normais.

A pesquisa que mede o mercado na cidade ainda não foi realizada. Mesmo assim, o Diário do Comércio conversou com alguns lojistas uberlandenses para saber da expectativa em relação à data.

Proprietário de rede de lojas de variedades, Ronei Alves da Costa espera um Natal ainda melhor do que apontam as pesquisas. Isto porque, segundo ele, já é possível sentir a confiança dos consumidores. Para 2017, Costa acredita em aumento de até 15% nas vendas em relação ao ano passado.

“A gente conversa com a clientela, com os vendedores, tenho certeza que nós teremos um ótimo Natal. É natural que a economia dê novamente uma aquecida, depois de tempos tão difíceis que passaram”, afirma.

A procura também já começou nas lojas que trabalham com decoração de Natal. Em um estabelecimento no Centro, as vendas de árvores de Natal já começaram. Segundo a gerente Valéria de Oliveira Melo, a situação é positiva, contando que ainda estamos em outubro. “Não acredito que haverá aumento em relação ao ano passado, mas, de toda forma, o Natal de 2016 foi bom, e esperamos o mesmo para esse ano”, diz.

Ainda segundo ela, o estoque também se manteve o mesmo. “Vendemos no ano passado cerca de 40 árvores, entre decoradas e sem decoração, o que também é bom. Trabalhamos com esse mesmo número para esse ano e as vendas começarão a aumentar quando entrarmos em novembro.”

A superintende da CDL, Lécia Queiroz, afirma que, além dos comerciantes, pesquisas apontam para mais confiança entre os consumidores. “Já tivemos um bom Dia das Crianças, onde há um alvo específico de produtos. O Natal já é voltado para todo mundo. Os consumidores também estão mais dispostos a assumirem compromissos, utilizando muito as formas de parcelamento”, diz.

Ela aponta ainda que a venda de cosméticos, eletrônicos, alimentos e vestuários devem se destacar.

 

CONTRATAÇÕES

Em relação às contratações temporárias, a CDL aponta que os comércios têm investido mais na capacitação e na maior produtividade do quadro de funcionários. “Notamos que há uma espera. O comerciante quer aguardar para ver se realmente haverá esse aquecimento nas vendas, e, aí, se necessário, oferecer esse posto de trabalho temporário”, disse a gerente executiva da Fundação CDL, Bânia Vieira Poli.

Mas há quem já tenha saído na frente. Uma rede de loja de variedades e papelaria ouvida pelo Diário, acreditando em boas vendas no Natal, já iniciou o treinamento de dez funcionários temporários, com período médio de contrato de três meses. “Gostamos de iniciar esse treinamento com antecedência, para que nossos colaboradores peguem experiência, já que quando as vendas começam a crescer, é bom ter profissionais preparados”, disse a gerente Sandra Helena Campos.

Em uma loja de brinquedos do Center Shopping também já foram preenchidas dez vagas de trabalho temporário. A expectativa é que ainda sejam criadas mais quatro. “A procura por essas vagas está grande, temos facilidade para preenchê-las”, afirmou a gerente Kênia De Souza Alves.

Outra questão apresentada é a efetivação desses funcionários. Segundo Kênia Alves, atualmente, 60% do quadro de trabalhadores efetivos vieram de vagas temporárias. “Como há uma rotatividade, a gente prefere manter essas pessoas que já sabem como a gente gosta de trabalhar e que têm experiência”.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »