20/10/2017 às 17h48min - Atualizada em 20/10/2017 às 17h48min

Homem é preso com pornografia infantil em Uberlândia

DA REDAÇÃO COM FOLHAPRESS
Material encontrado na casa do suspeito será analisado pela Polícia Civil / Foto: Polícia Civil/Divulgação

 

Um homem de 34 anos foi preso hoje no bairro Chácaras Tubalina, na zona oeste de Uberlândia, pela Polícia Civil, suspeito de possuir e compartilhar pornografia infantil. Um computador e diversos materiais foram apreendidos com ele.

A prisão é decorrência da Campanha Nacional de Combate à Pedofilia, desencadeada hoje por iniciativa do Ministério da Justiça. Chamada de “Luz na Infância”, a operação, que se desenvolveu em todos os estados, à exceção do Amapá e Piauí, contou com cooperação internacional dos Estados Unidos, cuja embaixada no Brasil colaborou na ação (ver mais nesta página).

Em Uberlândia, a ação foi realizada pelo Serviço de Inteligência do 9º Departamento de Polícia Civil (DPC). Segundo o delegado Eduardo Leal, que coordenou a ação, o homem foi preso em flagrante, quando se encontrava em casa. Os policiais e peritos constataram que homem fazia o compartilhamento do material proibido na internet.

O suspeito, cujo nome não foi divulgado, trabalha numa empresa da cidade, é casado e levava uma vida comum. Ainda não se sabe se ele cometeu outro tipo de delito contra criança ou adolescente, como ter tido relações sexuais. O computador e outras provas que incriminam o indivíduo serão examinados pelos peritos.

O delegado informou que o investigado será indiciado e, se condenado, poderá ter uma pena de três a seis anos de reclusão.

Eduardo Leal também explicou que o homem já havia sido investigado em Uberlândia há cerca de três anos. A investigação, naquela época, apontou que ele compartilhava material no ambiente virtual e fazia parte de uma rede clandestina. O mandado contra ele foi expedido por Belo Horizonte.

A operação em Minas, até às 10h, havia resultado no cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão e em nove prisões.

 

BRASIL

A operação Luz na Infância, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, deflagrada hoje, prendeu quase 100 pessoas suspeitas de disseminar conteúdo de pornografia infantil e pedofilia na internet.

As prisões ocorreram pela manhã, em 24 Estados e no Distrito Federal. Dois Estados - Amapá e Piauí - não participaram porque não conseguiram concluir as investigações em tempo hábil, mas devem fazê-lo nas próximas semanas.

Foram expedidos 178 mandados de busca e apreensão, que resultaram em 97 prisões em flagrante.

São Paulo teve o maior número de mandados expedidos, 40, dos quais 25 foram cumpridos ainda pela manhã.

Foram identificados mais de 151 mil arquivos com conteúdo de pedofilia – cenas de sexo explícito com a participação de crianças – que eram compartilhados entre os suspeitos.

A lei diz que apenas armazenar esse tipo de material já configura crime. Os suspeitos tanto armazenavam quanto compartilhavam esse material. Em alguns casos, também o produziam.

"O próximo passo da investigação é ver qual era a relação entre eles, que tipo de conexão e colaboração havia", disse o ministro Torquato Jardim em coletiva de imprensa.

A operação foi descrita pelo Ministério da Justiça como a maior que já houve no Brasil e na América Latina. A investigação durou seis meses.

Até então, a maior operação no Brasil havia sido a Carrossel 2, deflagrada em 2008, que resultou no cumprimento de 113 mandados de busca e apreensão em 17 Estados.

A operação desta sexta, intitulada Luz na Infância, foi coordenada pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública e teve a colaboração de autoridades americanas e europeias, que contribuíram compartilhando software e arquivos.

As informações obtidas foram, então, passadas para as polícias civis dos Estados, que instauraram inquéritos e pediram à Justiça autorização para executar os mandados de busca e apreensão.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »