20/10/2017 às 05h07min - Atualizada em 20/10/2017 às 05h07min

Dmae marca para novembro mudança para a nova sede

Inauguração foi há 10 meses, mas houve problemas na documentação

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Sede nova tem mais de 8 mil m² de área construída em um terreno na avenida Rondon Pacheco; custo foi de R$ 30 milhões / Foto: Valter de Paula/Secom PMU

 

A nova sede do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) começará a ser ocupada no dia 15 de novembro. A mudança para o prédio, que fica no cruzamento das avenidas Rondon Pacheco e Benjamim Magalhães, no bairro Tibery, foi confirmada pela diretoria da autarquia. O prédio da atual sede administrativa, no Centro da cidade, ainda não tem destinação. Apesar de ter sido inaugurado há 10 meses, problemas de documentação impediam que o prédio fosse utilizado. Ainda são esperados alguns reparos na nova sede.

O diretor adjunto do Dmae, David Thomaz, explicou que faltava a liberação do Corpo de Bombeiros para a que o Habite-se do imóvel fosse expedido. Com o auto de vistoria dos bombeiros e as adequações necessárias feitas, no dia 16 de fevereiro foi liberada a documentação para ocupação do prédio. Já o alvará de funcionamento foi expedido em 8 de junho para a edificação na avenida Rondon Pacheco e tem validade até março de 2020.

Com a mudança marcada o próximo mês, Thomaz ainda informou que o atendimento vai continuar na atual sede até que tudo esteja funcionando no novo prédio. “Até dia 20 (de novembro) imagino que tenhamos terminado toda a mudança”, afirmou. No prédio antigo ainda será mantida, por um período estimado de seis meses, a hidrometria, que cuida da instalação e manutenção de hidrômetros, até que a bancada do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) faça nova certificação.

Ainda segundo a diretoria do Dmae, houve dificuldade na instalação de cabos para estruturação da rede de computadores do departamento e atendimento de público na nova sede. Outras pequenas reformas devem acontecer. “Está sendo feita uma perícia para apurar incongruências entre o projeto e a execução”, afirmou o diretor adjunto. Os problemas até agora verificados são menores e, a princípio, não vão atrapalhar a mudança. Não há valores contabilizados dessas possíveis reformas, cuja responsabilidade será cobrada da construtora ou de quem assinou o projeto.

 

INAUGURAÇÃO

No dia 15 de dezembro a nova sede administrativa do Dmae foi inaugurada pelo então prefeito Gilmar Machado. Contudo, oito dias depois, o prédio foi interditado a pedido do Ministério Público Estadual (MPE), por falta de documentação. À época, a promotoria explicou que houve uma denúncia e que o MPE verificou que a inauguração havia sido feita sem o aval da própria administração pública. Uma vistoria tinha atestado que a construção não havia sido finalizada, o que ainda gerou a determinação da correção de posição de hidrantes, tomadas e interruptores. Com mais trabalho a ser feito, existia a previsão para que a nova sede recebesse os servidores até janeiro – o que deve acontecer em novembro.

Orçada inicialmente em R$ 27 milhões, a obra foi iniciada em julho de 2015 e teve um custo final de R$ 30 milhões. Com área construída de 8.073 m², o novo prédio abrigará os setores administrativos do Dmae, entre os quais a Procuradoria autárquica, que antes estava instalada em salas alugadas. O projeto contempla um estacionamento de 5 mil m² e acessibilidade.

 

ANTIGO PRÉDIO

A sede usada atualmente pelo Dmae, na Rua Martinésia, tem mais de 40 anos e, segundo a diretoria, já é pequeno e não contempla acessibilidade como determina a Lei. Há problemas de segurança, como falta de saídas de emergência, algumas áreas improvisadas e existe gasto extra com aluguel de salas.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »