15/10/2017 às 05h40min - Atualizada em 15/10/2017 às 05h40min

Uberlândia é a 28ª melhor cidade para se investir

Lista da revista “Exame” coloca cidade à frente de 15 capitais

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Uberlândia é a segunda melhor colocado do Estado, atrás somente da capital Belo Horizonte / Foto: Christyam de Lima

 

Uberlândia foi considerada a 28ª melhor cidade para investimentos em negócios no Brasil, de acordo com o levantamento feito pela revista “Exame” e divulgado na última semana. O Município ganhou seis posições no comparativo com a mesma pesquisa de 2016, o que, segundo os entrevistados do Diário do Comércio, se deve principalmente à infraestrutura oferecida pela cidade, seu empreendedorismo e por ter uma grande rede educacional. Por outro lado, a questão da tributação, que envolve a política estadual, e o oferecimento de subsídios para chamar a atenção de novos investimentos são pontos a serem melhor avaliados.

A pesquisa fez um ranking com as 100 melhores cidades para investimentos a partir de um universo de municípios com população superior a 100 mil habitantes. A elaboração teve a parceria da Urban Systems, empresa focada em inteligência de mercado. 

Entre os 28 indicadores usados como parâmetros, há fatores como saúde, educação, financeiros, transporte, infraestrutura, sociodemográficos e econômicos, sendo estes, em geral, os de maior peso. O resultado consolidado das finanças públicas municipais, por exemplo, tem peso 3 na conta do ranking, enquanto há outras questões que têm peso 0,5. Os números coletados são de períodos variados, incluindo 2017, sendo a maior parte referente aos últimos dois anos (2015 e 2016).

Sob essa avaliação, Uberlândia teve indicadores acima da média nacional, como o PIB per capita (superior a R$ 38.248), despesa per capita com saúde (acima de R$ 799) e oferta de vagas de ensino superior (mais de 87 a cada mil habitantes). Dessa forma, o Município foi o segundo melhor colocado do Estado, atrás somente da capital Belo Horizonte, que está na 9ª colocação. Ainda de acordo com o levantamento, os números locais são melhores que 15 capitais de Estados, como Salvador (BA) e Belém (PA). Municípios próximos também figuram no ranking, a exemplo de Araxá, na 71ª posição, e Uberaba, no 73º lugar.

Ainda que para a formação da lista a pesquisa leve em consideração resultados da gestão municipal anterior, o atual secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo de Uberlândia, Dilson Dalpiaz, vê a 28ª colocação da cidade como um misto de base sólida da economia local e programas que buscam manter o empreendedorismo local em Uberlândia. “A cidade, em meio à crise que até hoje enfrenta, costuma demorar mais a ser afetada. Ela é sólida em pilares como a educação e qualidade de vida. Se você tem um funcionário com essa qualidade de vida terá um bom retorno e isso atrai empresas”, disse Dalpiaz como avaliação do resultado mostrado pela pesquisa.

Em um outro estudo, feito pela ONG Endeavor Brasil sobre o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), publicado em 2016, Uberlândia figurava na 17ª posição entre as melhores cidades para se empreender. No item “ambiente regulatório”, o Município ocupa a primeira colocação entre 32 cidades, sendo a mais rápida para se abrir o próprio negócio. Algo considerado relevante economicamente. 

Para Camilla Alves, assistente de projetos do Sebrae em Uberlândia, o cenário fértil para empreendimentos encontrado na cidade é fruto de vários fatores, mas destaca a questão educacional. “Por conta das universidades e da oferta de educação empreendedora em Uberlândia, existe um incentivo para que surjam novos negócios e empresas inovadoras se desenvolvam”, ressalta.

 

PONTO DE ATENÇÃO

Questão tributária ainda preocupa

O fato de Uberlândia figurar como a 28ª melhor cidade para se investir, segundo a revista “Exame”, é interessante, mas ainda há uma preocupação importante, de acordo com o presidente da Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub), Fábio Pergher: a questão tributária. Para ele, os altos impostos cobrados em Minas Gerais dificultam a atratividade para os as cidades mineiras. “Dependendo da atividade, a carga tributária pode ficar acima de 50%. Há empresários daqui que acabam deixando o Estado em busca de melhores impostos e benefícios”, disse. Ao mesmo tempo, Pergher avalia que há diferenciais importantes em Uberlândia que devem ser mantidos, como a infraestrutura urbana e mão de obra.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Dilson Dalpiaz, afirmou que a chamada guerra fiscal no País foge das mãos dos Municípios e pode ter um tipo de regulação da União. “Existem acórdãos para regular a questão do ICMS, por exemplo, que podem melhorar o problema futuramente. Enquanto isso, o ISS não poderá ser menor que 2% a partir de 1º de janeiro de 2018, por conta de uma Lei federal. Isso evita que Municípios abram mão dessa cobrança em uma disputa pelo recebimento de uma nova empresa”, afirmou.

 

INVESTIDOR

Potencial da cidade atrai grupo nacional

O potencial de retorno de Uberlândia é algo que chama a atenção de grandes investidores, como é o caso do Grupo Pão de Açúcar. Além de supermercado com a bandeira homônima, o grupo abrirá na cidade o primeiro supermercado Assaí do Estado.

“Acreditamos ser uma excelente posição e a cidade tem todos os fatores para continuar crescendo no referido ranking”, disse o diretor regional do Assaí Atacadista, Mauro Peixoto, sobre a posição de Uberlândia na lista da revista “Exame”.

Fechado desde junho, depois de 10 anos de atividades em Uberlândia, o hipermercado Extra deu lugar à marca Assaí. O novo foco é o chamado atacarejo (junção das palavras atacado e varejo), cujo modelo opera com vendas tanto para abastecer estoques de comerciantes menores, quanto para o consumidor final. A mudança, de acordo com Peixoto, decorre de avaliação sobre o potencial de cada região. 

“O Triangulo Mineiro é um polo importante para o desenvolvimento econômico do Estado, com grande concentração de demanda tanto pelo público pessoa jurídica, quanto pessoa física - perfis potenciais de clientes ao nosso negócio. Acreditamos que Uberlândia tem um potencial importante e, por isso, escolhemos a cidade para iniciar nossas operações no Estado de Minas Gerais”, afirmou. A expectativa é que a nova loja inicie as atividades entre o fim de outubro e o início de novembro. 

 

Ranking Exame

Melhores cidades para se investir

1ª São Paulo (SP)
2ª Vitória (ES)
3ª Porto Alegre (RS)
4ª São Caetano do Sul (SP)
5ª Barueri (SP)
6ª Florianópolis (SC)
7ª Curitiba (PR)
8ª Rio de Janeiro (RJ)
9ª Belo Horizonte (MG)
10ª Santos (SP)
(...)
28ª Uberlândia (MG)
29ª Indaiatuba (SP)
30ª Passo Fundo (RS)


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »