12/10/2017 às 05h50min - Atualizada em 12/10/2017 às 05h50min

70 cobradores de ônibus são demitidos, aponta Sindicato

Adesão ao sistema de bilhetagem eletrônica exclusiva gera dispensas

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Em agosto trabalhadores fizeram manifestação contra demissões / Foto: Vinícius Romario

 

Desde o dia 22 de setembro, cerca de 70 cobradores e três motoristas foram demitidos pelas empresas de transporte público de Uberlândia. As informações são do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Uberlândia (Sinttrurb), que prevê mais desligamentos para amanhã.

As demissões começaram depois que as empresas que atuam no transporte público da cidade passaram a utilizar em algumas linhas o sistema exclusivo de bilhetagem eletrônica. Desde o início do ano, os trabalhadores vêm tentando na Justiça que essas demissões não aconteçam, e, em um acordo firmado em março, as partes firmaram que não haveria demissões, salvo justa causa, até o dia 1º de setembro deste ano. 

Segundo o presidente do Sinttrurb, Márcio Dúlio de Oliveira, a classe irá lutar para que o prefeito Odelmo Leão regulamente uma lei que obrigue a criação de um segundo posto de trabalho dentro dos ônibus. “A única solução que temos agora é essa, senão serão mais de 800 trabalhadores na rua, o que não pode acontecer”, afirmou Oliveira.

Sobre a situação, Oliveira afirma que já existem ações nos Ministérios Públicos do Trabalho (MPT) e Estadual (MPE). “Agora temos que esperar esses procedimentos e tentar barrar essas demissões. Manifestações também estão sendo organizadas.” No dia 23 de agosto, já por causa das demissões, a categoria paralisou as atividades durante o dia.

Mauro Cesar de Santos Cândido, de 50 anos, trabalhou como cobrador durante 30 anos e foi demitido na última semana. De acordo com ele, a situação é muito triste, principalmente pelo número de trabalhadores que passam pela situação e pelo momento que passa o País. “Ninguém está preparado para isso. Todos precisam trabalhar e não existe lugar. A classe precisa se unir e lutar”, disse Cândido. 

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro (Sindett) disse que “está empenhado no bom funcionamento do transporte coletivo em Uberlândia e reforça o trabalho intensivo de requalificação, em parceria com o SEST/SENAT, para cobradores ocuparem novos cargos nas empresas”.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Uberlândia informou, também por meio de nota, que a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settran), no intuito de identificar qualquer irregularidade, enviou um pedido de informação sobre a situação às três empresas que operam no Sistema Integrado de Transporte (SIT).

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »