11/10/2017 às 05h45min - Atualizada em 11/10/2017 às 05h45min

Argentino é peregrino das artes

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Marcelo Malfinson viaja há 26 anos pela América do Sul buscando integração dos artistas / Foto: Adreana Oliveira

 

O argentino Marcelo Malfinson é o que podemos chamar de um peregrino das artes na América do Sul. Por escolha própria, há 26 anos ele viaja pelo continente buscando mais integração e fomentação entre as artes dos diferentes países. 

Natural de Chos Malal, aos 45 anos ele passou praticamente metade da vida a viajar. “Já passei por Chile, Volívia, Paraguai, Uruguai sempre na tentativa de fazer um intercâmbio entre artistas desses países”, disse Malfinson que é cantor, compositor, produtor, cartunista e estudioso da Logosofia.

Esse seu trabalho o coloca próximo do meio universitário e ele afirma que quando começou essa jornada contou com  uma política cultural abrangente de seu país. “Para mim é isso que falta um pouco no Brasil, o incentivo para que o artista viaje e mostre seu trabalho em outros países”, comenta.

Foi a arte que trouxe Malfinson a Uberlândia pela primeira vez há mais de 20 anos. O artista, inclusive, tem uma filha adolescente que mora na cidade. Eloá Lucero estuda Medicina mas graças à influência do pai e da mãe, a bailarina Luciana, cresceu em um ambiente rodeado por arte de todos os tipos e se prepara para se lançar como cantora. “Uma das músicas dela se chama ‘Buried alive’, traduzindo, ‘Enterrado vivo’ e fala da situação de mineiros da mina de San José, no Chile, vítimas de uma tragédia”, explica Malfinson.

Aliás, “Mineria” é a próximo disco do múltiplo artista e pretende chamar a atenção para as condições dos trabalhos nas minas na Argentina. A música que será o carro-chefe já foi escolhida, é “Mineral”  “Na Argentina essa atividade é muito nova por isso queria muito levar especialistas do Brasil para falar da experiência de vocês aqui”, disse. Ele comenta ainda que na Argentina a população tem se mostrado contra as grandes mineradoras mas a favor do trabalho artesanal, que preserva as minas e não só tira toda a riqueza da região.

Durante muitos anos, Alessandra, Marcelo Malfinson viajou pela América do Sul com o Duo Mercosul, que fazia uma junção da música mineira com a música argentina.  “As pessoas são muito receptivas a esses projetos, espero ainda fazer muitos mais para contar e cantar mais sobre nossa cultura e principalmente mostrar como o intercâmbio pode enriquecer todos”, disse.

Quando está em Uberlândia Marcelo Malfinson tem espaço garantido no Mercado Municipal de Uberlândia aos sábados, onde canta e também desenha caricaturas, e aos domingos fica na Feira da Gente, na praça Sérgio Pacheco, onde tem uma amizade de longa data com os artesãos.

“Temos uma cultura muito rica e precisamos mostrar cada vez mais tudo isso pelo mundo”, afirma o artista que não tem fins comerciais com seus projetos. “Agora estamos pintando murais em escolas com auxílio de algumas empresas das cidades. As imagens são uma forma de resgate da cultura local”, conta.

Para saber mais sobre os trabalhos realizados por Marcelo Malfinson basta acessar o canal com o nome dele no YouTube e Facebook.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »