20/09/2017 às 15h08min - Atualizada em 20/09/2017 às 15h08min

Exército e parceiros fiscalizam explosivos

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Militares fiscalizaram hoje pedreira em Uberlândia / Foto: Vinícius Romario

 

O Exército Brasileiro, por meio do Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados (SisFPC), deflagrou em todo país, na última terça-feira (19), a Operação Dínamo V, com o intuito de fiscalizar materiais explosivos. No Triângulo Mineiro, as ações estão sendo realizadas pelo 36º Batalhão de Infantaria Motorizado (36º BIMTz), sediado em Uberlândia.  

No total, pedreiras de três cidades da região serão fiscalizadas durante a operação, que acontece em conjunto com as polícias Militar (PM) e Civil (PC), o Corpo de Bombeiros e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Ontem (19) a fiscalização ocorreu em Uberaba, enquanto hoje (20), em Uberlândia. A programação desta quinta-feira não foi divulgada pelo 36º BIMtz. Em todo o Brasil, mais de 750 estabelecimentos deverão ser fiscalizados por cerca de 1 mil militares envolvidos.

“Caberá a nós fiscalizar o estoque, o armazenamento, a utilização e os documentos de compra. A nossa intenção é assegurar que esses materiais explosivos utilizados pelas empresas não sejam desviados para serem utilizados em ações ilícitas, como estouros a caixas eletrônicos”, afirmou o comandante da operação, tenente Paulo Roberto Resende Rossi.

Ainda de acordo com ele, caso alguma irregularidade seja constatada, a empresa poderá sofrer um processo administrativo.

Segundo o sargento do Corpo de Bombeiros Gladson de Fátima Coimbra, a corporação irá verificar a documentação de incêndio e situação em caso de pânico. “Já temos a documentação da empresa que iremos visitar e está tudo regular, mas verificaremos as instalações, para confirmar se estão seguindo o que nos foi documentado”, afirmou Coimbra.

Já a PM de Meio Ambiente fiscalizará as questões ambientais. “Vamos verificar se há poluição a recursos hídricos, olhar se houve degradação à vegetação e caso haja irregularidades, o proprietário do estabelecimento será multado”, disse o sargento Hermínio de Rodrigues Resende Neto. 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »