31/08/2017 às 05h08min - Atualizada em 31/08/2017 às 05h08min

Projeto ajuda mais de 40 jogadoras em Uberlândia

Grupo Divas do Dom Almir nasceu em 2012 e dá aulas de esporte gratuitas

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Segundo preparador, jogadoras do Divas do Dom Almir têm agenda intensa além das preparações esportivas / Foto: Divulgação

 

Em 2012, teve início em Uberlândia um projeto voltado para o futsal e futebol feminino que vem ajudando adolescentes e adultas carentes do bairro Don Almir, na zona leste da cidade. As “Divas do Dom Almir” nasceram junto ao já extinto projeto “Fico Vivo”, na época mantido pelo Governo Estadual. São mais de 40 mulheres com idade entre 12 e 33 anos, que têm aulas sem custo todas às terças-feiras e quintas-feiras, das 18h às 20h30, na Escola Estadual Dr. João Cupertino no Dom Almir.

As meninas do Divas são instruídas pelo educador físico e treinador Alexandre Damas, também ex-atleta e que passou pelas categorias de base do Uberlândia Esporte Clube.

Atualmente, o time adulto está na disputa da Liga Cerrado de Futsal, competição que dá vaga para a etapa nacional do torneio, que será realizado no mês de novembro em Anápolis (GO). A equipe mantém ainda uma parceria com o Inter de Minas, equipe profissional da cidade, que disputa o Campeonato Mineiro da Segunda Divisão Masculino. 

“As Divas têm uma agenda intensa, com muitos convites para participarem de torneios e competições, porém, devido às dificuldades para viajar, a equipe tem que limitar sua participação apenas para alguns torneios esportivos. As meninas da equipe, além da dedicação aos cuidados com a família, afazeres de casa e dedicação aos estudos, ainda treinam forte a fim de se envolverem em ações sociais na comunidade”, disse Alexandre Damas.

Meninas que moram na região do Dom Almir e que desejam participar do projeto têm de ir até o local das aulas. Os custos são todos bancados por um grupo de pais e amigos, que constantemente realizam eventos para arrecadar fundos.

 

ATLETA

A jogadora Elyonara Vitória Marques Xavier, de 15 anos, joga como fixo, no futsal, e de zagueira/volante, no futebol de campo. Há três anos na equipe, ela fala da importância do Divas em sua vida esportiva e familiar.

“Nunca foi fácil, pois tenho duas irmãs especiais, um irmão dependente químico e uma mãe com problemas de saúde. Desde que eu conheci o Divas, minha vida mudou bastante. Comecei fazer várias viagens, conhecer pessoas diferentes e outras realidades. Melhorei muito meus pensamentos e fiz grandes amizades”, afirmou.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »