22/08/2017 às 17h59min - Atualizada em 22/08/2017 às 17h59min

Rapaz é estuprado após ser rendido em caminhada

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER

Um jovem de 23 anos foi estuprado na manhã do último domingo, em Uberaba, após ter sido abordado por um homem armado. Após o crime, o agressor ainda disse que a vítima teria “salvado uma mulher” que poderia ter sido estuprada em seu lugar.

Ainda na noite do crime, Mateus Henrique da Silva, estudante de biologia, relatou o fato em um depoimento no Facebook. “Na manhã desse último domingo, durante minha caminhada matinal, eu, Mateus, homem cis, 23 anos, fui vítima de um estupro. Não foi sequestro, não foi assalto e mesmo que pareça, não foi homofobia. Foi estupro”, inicia o texto publicado pelo jovem. 

O relato da vítima segue descrevendo os atos praticados pelo criminoso, que, armado, forçou Silva a entrar em um veículo para leva-lo a uma mata, onde o estupro aconteceu. 

“Mas como eu saí vivo? Segundo o cidadão, ele queria uma menina que provavelmente ia matar depois, (mas) já que encontrou só um garoto, esse ia salvar a vida dela. ‘Parabéns, você salvou uma mulher hoje’ disse ele depois de me amordaçar, amarrar e mandar correr descalço no asfalto quente antes que ele voltasse com outra ideia”, prossegue o depoimento. 

Nas redes socais, até esta tarde, mais de 10 mil pessoas tinham visualizado o depoimento, que também foi compartilhado por cerca de 1,5 mil pessoas. Também era possível ler mais de 500 comentários em apoio a Mateus. 

“Os procedimentos médicos e jurídicos estão sendo feitos. Não, eu não tô bem. Me sinto humilhado, envergonhado, assustado. Cada lembrança é um pesadelo. Eu olho pro meu corpo agora e só penso que cada corte, cada ferimento e cada dor vão se transformar em força, em esperança, em renascimento. E isso graças a minha família que tem sido incrível - todos eles - e aos amigos. Se você chegou até aqui e ainda não tá acreditando, eu te reafirmo. Isso é sério e a minha ficha também não caiu. No mais, a minha vida não vai parar por isso. O baile seguirá”, finaliza Mateus em seu relato. 

A reportagem entrou em contato com a delegada de Crimes Contra a Família da Polícia Civil de Uberaba, Carla Bueno, responsável pelo caso. Segundo ela, a vítima deverá ser ouvida nos próximos dias e, só então, o inquérito de investigação será instaurado.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »