09/08/2017 às 05h53min - Atualizada em 09/08/2017 às 05h53min

Operação desmonta cédula do PCC em Minas Gerais

DA REDAÇÃO

Cinquenta e três pessoas foram presas ontem durante a operação Argos, que desarticulou uma célula do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Sul de Minas. A operação foi realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP) em parceria com a Polícia Militar de Minas Gerais (PM). Foram cumpridos 28 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão nas cidades de Três Corações, Varginha, Cambuquira, Boa Esperança e Carmo da Cachoeira.

Durante as investigações, conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), núcleo Varginha, outras 25 prisões foram realizadas, totalizando 53 pessoas presas. Maconha, cocaína, crack, armas de fogo, munições e explosivos foram apreendidos.

O cumprimento dos mandados contou com a participação de 113 policiais militares e três promotores de Justiça. Foram empenhadas 26 viaturas e uma aeronave. As investigações duraram aproximadamente 11 meses.

O MP apurou que organização criminosa atuava no Sul de Minas Gerais e se dedicava à prática de explosões de caixas eletrônicos, roubos a residências e de veículos automotores, comércio de armas, munições e explosivos, homicídios e tráfico de drogas.

Na oportunidade dos requerimentos das prisões preventivas e expedição de mandados de busca e apreensão, o MP ofereceu à Justiça denúncia contra os investigados pelos crimes de receptação, porte de arma, tráfico de drogas (e organização criminosa armada, sendo os demais crimes apurados em separado.    

Apurou-se que o grupo, comandado do interior da Penitenciária Regional de Três Corações, arquitetava os crimes, além de homicídios de concorrentes e rebeliões.

A ação preventiva durante os trabalhos frustrou a consumação de crimes contra a vida, rebeliões e explosões de caixas eletrônicos.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »