04/07/2017 às 05h28min - Atualizada em 04/07/2017 às 05h28min

Minas Gerais investe em pesquisa

Estado é o 3º maior produtor nacional da fruta, com faturamento bruto de mais de R$ 800 milhões por ano

AGÊNCIA MINAS | BELO HORIZONTE
Banana do tipo Prata-Anã é a mais cultivada no Estado / Foto: Divulgação

 

Terceiro maior produtor de banana do País, com cerca de 800 mil toneladas ao ano, Minas Gerais tem investido em pesquisa para melhorar a qualidade e competitividade da fruta, responsável por um faturamento bruto anual de R$ 840 milhões. Quase a totalidade da produção é consumida pelo mercado interno, mas alguns produtores já começaram a exportar o produto para os Estados Unidos e Portugal.

O Norte de Minas é responsável por quase metade da produção do Estado. A região conta com cerca de 16 mil hectares de área colhida, sendo que um terço dela está na cidade de Jaíba. 

O primeiro experimento com a banana no Norte mineiro foi implantado em 1979 pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig). Os trabalhos em andamento buscam solucionar desafios, como as doenças e um cenário de escassez de água. A Epamig pesquisa formas de manejar a água de irrigação com redução de uso, além de variedades com tolerância à redução de água fornecida.

“Uma diferença da bananicultura no Norte de Minas em relação ao restante do país é a obrigatoriedade da irrigação”, explica a engenheira agrônoma e coordenadora do Programa Estadual de Pesquisa em Fruticultura da Epamig, Maria Geralda Vilela Rodrigues.

Em Jaíba, os agricultores estão apostando na variedade Prata-Anã para exportação, com o desenvolvimento de pesquisas para viabilizar o envio da fruta para outros países. Em 2015, a banana desembarcou em Portugal. Desde então, estão sendo feitos estudos para que a fruta possa ser exportada para outros países da Europa.

“Chegou-se a uma tecnologia que controla o amadurecimento da banana e o resultado desta pesquisa foi o envio de um container para um parceiro comercial em Portugal. Estamos avançando muito, mas ainda é necessário refinamento da pesquisa para aumentar a segurança da conservação”, diz a gerente geral da Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), Ivanete dos Santos.

Hoje, a fruta é enviada semanalmente aos Estados Unidos, em função da menor distância.

 

SUL TAMBÉM SE DESTACA

No Sul de Minas, segundo maior produtor no estado, a Epamig pesquisa variações de cultivares há 15 anos. Os tipos de banana mais utilizados na região são a Prata-anã (80%), Nanica (15%) e Maçã (5%). 

Segundo o pesquisador da Epamig em Lavras, José Clélio de Andrade, estão sendo pesquisadas 13 cultivares, sendo que quatro delas se sobressaem nas pesquisas, sendo elas a Prata Catarina, a variedade Maravilha, Prata Gorutuba e PA 94-01.

Selecionada em parceria com produtores particulares, a variedade Prata Gorutuba é mais resistente à pragas e doenças, inclusive ao Mal do Panamá, doença que pode ser fatal à planta. A banana Maçã, por exemplo, é altamente susceptível a essa doença e por isso não mais existem grandes bananais dessa variedade, sendo este inclusive o motivo de ser uma variedade mais cara.

Os objetivos dos estudos são avaliar e selecionar as cultivares com melhores características agronômicas, produção e menores ciclos de produção e porte, além de testar sua aceitação pelos produtores e consumidores, também pelos atacadistas e varejistas.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »