27/06/2017 às 05h33min - Atualizada em 27/06/2017 às 05h33min

Polícia desarticula quadrilha que agia na zona rural da região

Operação Parentela, deflagrada ontem pela Polícia Civil, deteve nove pessoas em Minas e Goiás

VINÍCIUS ROMÁRIO | REPÓRTER
Delegado Hugo Leonardo apresentou os presos e os produtos recuperados na operação / Foto: Vinícius Romario

 

Nove pessoas foram presas pela Polícia Civil durante a operação Parentela, deflagrada ontem com o objetivo de combater crimes na zona rural de Uberlândia e região. Do total de detidos, cinco homens, com idades entre 31 e 63 anos, foram presos ontem e são suspeitos de integrar uma quadrilha que atuava em roubos e furtos a fazendas. Uma mulher de 43 também foi detida ontem, durante a operação. De acordo com a PC, ela era amante de um dos integrantes da quadrilha e guardava em casa alguns dos materiais roubados. Com ela, a PC também encontrou maconha. O restante dos envolvidos, três homens, foram presos em Rio Verde (GO), há cerca de 20 dias, por receptação. A PC deve pedir até o fim dessa semana a prisão de mais um envolvido, suspeito de integrar a quadrilha.

Segundo o delegado Hugo Leonardo Marques de Jesus, as investigações tiveram início há 40 dias, quando a quadrilha roubou, da fazenda do deputado estadual Leonídio Bouças, um trator avaliado em R$ 500 mil. “Após o crime, ouvimos todas as vítimas e chegamos até a empresa contratada para fazer o transporte desse trator. A empresa nos passou o número do telefone desse contratante, onde iniciamos as interceptações telefônicas que duraram cerca de 30 dias e possibilitaram a operação”, disse Jesus.

Ainda de acordo com a PC, por meio das interceptações telefônicas, os policiais souberam dos suspeitos de Rio Verde, que pagariam R$ 40 mil pelo trator roubado e o revenderiam. “Eles anunciaram o trator em um aplicativo de vendas. Com essa informação, nos disfarçamos de produtores rurais e mostramos interesse em comprar o trator. Fomos até Rio Verde e encontramos com os suspeitos, que cobravam R$ 110 mil pelo trator. Após nos mostrarem o veículo, demos voz de prisão e detemos os três”, afirmou o delegado.

Sobre os executores do crime e suspeitos de integrar a quadrilha, Jesus disse que quatro foram presos em Uberlândia e um foi detido em Lagamar (MG). “Três deles, inclusive, são irmãos. Dos outros dois, um trabalhava como caminhoneiro fretista, mas aproveitava os serviços em fazendas para localizar objetos e animais e passava essas informações para que a quadrilha pudesse roubar ou furtar”, disse.

Ainda durante as investigações, a PC teve conhecimento da participação da quadrilha em um roubo a uma fazenda no interior do estado de Goiás. Por meio da interceptação telefônica, os policiais souberam também que outros três homens praticariam um furto a uma fazenda em Nova Ponte. “Após essa informação, preferimos montar um esquema e prender esses três suspeitos em flagrante, para que não atrapalhassem as investigações da Parentela. Era um grupo grande de pessoas envolvidas no roubo de materiais e animais, mas esses três suspeitos de Nova Ponte não tiveram ligação com os crimes alvos da operação”, afirmou o delegado.

Os detidos deverão responder pelos crimes de furto, roubo, associação criminosa e receptação. “Em posse de todos os materiais apreendidos e das informações colhidas dos suspeitos, vamos analisar durante o inquérito em quais crimes todos os envolvidos serão enquadrados”, finalizou Hugo Leonardo Marques de Jesus.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »