23/06/2017 às 05h53min - Atualizada em 23/06/2017 às 05h53min

Entrega de obras na 365 é prorrogada outra vez

Projeto foi reajustado e também há problemas com a construtora

VINÍCIUS ROMÁRIO | REPÓRTER
Demolição do Viaduto Virgílio Mineiro foi suspensa / Foto: Reprodução/Street View

 

A entrega das passagens inferiores nas ruas Alagoas e Claudemiro José de Souza na BR-365, que liga os bairros Brasil e Marta Helena, no setor central e zona norte da cidade, deverá ficar para o segundo semestre deste ano, informou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), responsável pelas obras. A previsão inicial de entrega era para o fim do ano passado, mas o prazo foi estendido para este mês e novamente prorrogado nesta semana.

Segundo o chefe de serviço da unidade local do Dnit em Uberlândia, Vinícius Rodrigues de Castro Júnior, ainda não foi possível concluir as obras devido a alguns contratempos, mas, de acordo com ele, as passagens inferiores serão entregues no segundo semestre deste ano. “Não é possível ainda trabalhar com uma data. Tivemos que fazer um reajuste no projeto, esse é um dos motivos, mas, como estamos na fase de terraplanagem, também houve algumas chuvas até o início de junho, o que também atrapalhou no desenvolvimento dos trabalhos”, disse Vinícius Castro Júnior.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), que move há cerca de um ano uma ação para que essas obras sejam entregues, a construtora Gomes Lourenço, empresa que atualmente presta os serviços, está em recuperação judicial e corre o risco de falir.

“Isso porque já é a segunda empresa nesse empreendimento. A vencedora da licitação foi a Araguaia Engenharia, que fez 10% das obras e, após falir, abandonou os serviços. A segunda empresa da licitação foi chamada e agora começam a aparecer os mesmos problemas, com as obras ainda em 70%”, disse o autor da ação, procurador Leonardo Andrade.

O MPF também expediu uma recomendação para que o viaduto Virgílio Mineiro, envolvido nas obras, não fosse demolido na semana passada. “A empresa já não consegue entregar as passagens inferiores que são obras mais simples. Se eles derrubarem esse viaduto, que deve ser erguido novamente, com que condição farão isso?”, afirmou Andrade.

As obras ainda preveem a construção de duas trincheiras, uma no bairro Taiaman, zona oeste da cidade, e outra no trevo Osvaldo de Oliveira, no bairro Jardim Brasília, zona norte da cidade. Além do viaduto Virgílio Mineiro, o viaduto Francisco Paulo dos Santos também deve ser demolido e reerguido.

“Sobre essa questão, meus superiores ainda estão analisando a recomendação no MPF e eles vão decidir quando serão feitas essas demolições”, afirmou Vinícius Castro Júnior.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »