06/06/2017 às 05h01min - Atualizada em 06/06/2017 às 05h01min

Combustível está até 11% mais barato

Petrobras anunciou redução nas refinarias, mas postos não confirmam se queda já é reflexo da medida

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Gasolina passou de R$ 3,77 para R$ 3,45 em alguns postos de Uberlândia / Foto: Vinícius Romario

 

Desde a última sexta-feira (2), o preço do etanol e da gasolina está mais baixo nos postos de Uberlândia. Conforme dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), enquanto na última semana o valor médio do litro da gasolina na cidade era de R$ 3,77, e o álcool era encontrado a R$ 2,77, nesta semana o litro da gasolina já pode ser encontrado a R$ 3,45, uma queda de 8%. Já o etanol pode ser encontrado a R$ 2,45, queda de 11%.

No dia 24 de maio, a Petrobras anunciou redução do preço do diesel em 4,8%, e da gasolina em 5,4%, em média, nas refinarias. Porém, por meio de nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro) não esclareceu se a queda do preço registrado em Uberlândia aconteceu em decorrência do anúncio feito pela Petrobras.

“A Minaspetro afirma que não cabe ao Sindicato precisar se tais baixas serão repassadas pelos postos aos consumidores, uma vez que o mercado é livre e os preços não são tabelados”, diz a nota.

A entidade ressalta ainda que “o que dita o ‘preço de bomba’ é a concorrência, por sua vez, muito acirrada no segmento. Cada empresário define o seu valor de comercialização, e fatores como estratégias comerciais, localização, concorrência, entre outros, contribuem para esta decisão”, finaliza a nota.

O estudante Rafael Pardi Silva estava em um dos postos onde a reportagem do Diário do Comércio esteve ontem e comemorou a queda nos preços dos combustíveis, além de aproveitar para encher o tanque. “Esses valores vivem em uma gangorra, que ultimamente tem pendido para o lado mais alto. Quando acontece essa queda, temos que aproveitar. Espero que dure”, afirmou.

O empresário Caio Pupato também aproveitou para completar o tanque e, de acordo com ele, a queda foi inesperada. “Temos visto notícias diárias de impostos subindo, tudo ficando mais caro. Quando o preço abaixa temos que aproveitar. É uma economia que faz diferença”, disse.

Os gerentes e donos dos postos onde a reportagem esteve na tarde de ontem quiseram dar entrevista.

 

IMPOSTOS

Minaspetro questiona aumento do ICMS

Os deputados estaduais mineiros aprovaram, na última semana, o aumento do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre alguns produtos, entre eles o álcool e a gasolina. Nos dois casos, o aumento foi de 2%.

Segundo o Minaspetro, esse aumento foi recebido com bastante preocupação por parte dos empresários que compõem o setor de revenda no Estado.

Por meio de nota, o sindicato afirmou que “é de conhecimento geral que a alta carga tributária é um dos principais vilões do empresariado em todo o país; esse ônus sufoca os empreendedores, fecha dezenas de vagas de emprego e freia o crescimento sustentável do Brasil”, diz.

A nota afirma ainda que “é importante frisar que o aumento de taxas significa, de certa forma, a transferência de renda do consumidor para o governo, sendo os estabelecimentos comerciais - neste caso os postos de combustíveis - apenas um agente arrecadador do Estado durante este processo”, finaliza.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »