05/05/2017 às 08h19min - Atualizada em 05/05/2017 às 08h19min

Jovem morta em Uberlândia é enterrada no Buritis

Ainda não há informações sobre quem matou Jhennifer Batista

VINÍCIUS ROMARIO - REPÓRTER
Da Redação
Willian Vicente, irmão de Jhennifer, contou que família estava programando uma viagem

Foi enterrada ontem, no cemitério Parque dos Buritis, sob forte comoção, a jovem Jhennifer Batista dos Santos, de 24 anos. Desaparecida desde o último sábado (28), Jhennifer foi encontrada morta na última quarta-feira (3) em um córrego às margens de uma estrada de terra no bairro Chácaras Douradinho, zona oeste de Uberlândia.

 

Jhennifer não tinha passagens pela polícia e a família afirma que a jovem não tinha nenhum envolvimento com o crime ou drogas, e também não sabia de nenhuma inimizade ou ameaça que ela poderia estar sofrendo.

 

Diversos amigos e familiares estiveram presentes na cerimônia. O momento de maior emoção aconteceu quando eles se reuniram para fazer uma oração. Irmão da vítima, Willian Vicente da Silva disse que, agora, para conforto de todos, irão sobrar as boas lembranças da irmã. “Nós estávamos fazendo planos de viajar, estava todo mundo feliz e acontece uma barbaridade assim. Só nos resta lembrar a ótima pessoa que ela era e a alegria que ela passava para quem estava perto”, afirmou Silva.

 

Ainda segundo ele, é momento também de cobrar por justiça. “A gente sabe que esse processo é lento no Brasil, mas uma hora os culpados aparecem e vão pagar pelo que fizeram. Acima de tudo, acreditamos na justiça de Deus”, ressaltou Silva.

 

Muito emocionada, uma das melhores amigas de Jhennifer, que preferiu não se identificar, afirmou que o conforto dos amigos é saber que ela estará em um lugar melhor. “Eu tive a oportunidade de falar algumas palavras de Deus para ela pouco antes da tragédia acontecer e sei que isso a fortaleceu e que ela estará ao lado dos anjos”, disse.

 

O CASO

 

Segundo informações de um boletim de ocorrência registrado por uma testemunha no dia do desaparecimento (último sábado), Jhennifer teria sido vista por essa pessoa sendo colocada à força dentro de um carro por três homens na avenida Aldo Borges Leão, no bairro Canaã, também na zona oeste. Porém, ainda conforme registrado nesse boletim, a testemunha só informou a polícia sobre o fato horas depois, por, na hora, ter achado que se tratava de uma briga entre casal.

 

Durante o período em que a vítima esteve desaparecida, a Polícia Civil e grupos de amigos estiveram procurando por ela. Foi justamente um dos amigos de Jhennifer que a encontrou morta, boiando em um córrego. A polícia foi acionada e familiares fizeram o reconhecimento do corpo. 

 

Segundo a Polícia Civil, o caso que estava a cargo do delegado Luiz Fernando Oliveira Lançoni passou para a responsabilidade do delegado de homicídios Rafael Herrera. A PC disse também que segue com as investigações e não informou se a perícia já confirmou a causa da morte.

 

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »