05/04/2017 às 08h53min - Atualizada em 05/04/2017 às 08h53min

Desarmamento infantil é tema de ação com alunos

Caravana orienta sobre fim da violência nas brincadeiras infantis

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Da Redação
desarmamento – Crédito: Vinicius Romario Estudantes da Escola Sete de Setembro receberam a Caravana de Prevenção às Drogas

Pelo terceiro ano seguido, Uberlândia tem realizado ações referentes ao Dia Municipal do Desarmamento Infantil, comemorado em 15 de abril. Ontem (4), a Caravana de Prevenção às Drogas, organizada pela Secretaria Municipal de Prevenção às Drogas, Defesa Social e Defesa Civil, deu início ao calendário de visitas às escolas da cidade. A intenção é trabalhar a conscientização a favor do desarmamento e contra a violência em brincadeiras infantis, jogos e filmes.

 

Crianças que tiverem armas de brinquedo ou jogos que contenham violência podem descartar esse material nas escolas e, em troca, recebem um cupom para concorrer a brindes que serão sorteados no dia 12 deste mês. Por onde passa a caravana também promove atividades como grafite, palestra, oficinas de dança e de rimas.

 

As ações de ontem foram realizadas na Escola Estadual Sete de Setembro, no bairro Roosevelt, zona norte da cidade, e também fizeram parte das comemorações da unidade, que completa 50 anos neste mês. “Juntamos nossas ações com essa parte de prevenção à violência, que é muito importante. Outro ponto positivo é trabalhar de maneira lúdica e divertida com as crianças. Acho que, assim, elas assimilam mais e os resultados são mais positivos no combate à violência”, disse a diretora da escola, Marília Guimarães Moreira Barbosa.

 

A assistente social e integrante da caravana Maria da Conceição Bianchini Cardoso reforça os objetivos da Campanha do Desarmamento Infantil. “Temos que começar a trabalhar esse conceito com as crianças, que assim também levam essa ideia para a casa. O desarmamento é importante em todas as idades. Já vimos vários casos de crianças que vão brincar com a arma do pai e sem querer acabam disparando e atingindo alguém ou a si mesmo”, afirmou Maria da Conceição.

 

O aluno do 5º ano Fábio Igor dos Santos, de 10 anos, disse que aprova e gosta dessas ações. “Não tenho mais armas de brinquedo e até os pássaros que eu tinha em casa eu soltei, para que eles sejam livres. Sou contra a violência”, disse.

 

Também aluna do 5º ano, Jeniffer Lopes Pereira da Silva concorda com o posicionamento do colega. “Não gosto de violência nem de brincadeiras que machucam. É bom também quando trazem aulas de dança e brincadeiras para a nossa escola”, ressaltou.

 

SERVIÇO

 

As escolas interessadas em receber o projeto devem solicitá-lo pelo telefone 3239-2818 ou pelo endereço eletrônico [email protected]


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »