17/02/2017 às 08h56min - Atualizada em 17/02/2017 às 08h56min

UPA Norte não tem prazo para funcionar

SECRETARIA AFIRMA QUE PRIORIDADE É REABRIR LEITOS NO HOSPITAL MUNICIPAL E DESAFOGAR UAIs

Walace Torres - editor
DA REDAÇÃO
UPA do bairro Pacaembu foi totalmente equipada e tinha previsão de ser inaugurada em 2016

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, no bairro Pacaembu, ainda não tem data para entrar em funcionamento. Prevista para ser inaugurada em 2016, na gestão anterior, a unidade, apesar de ter sido equipada, ainda não está em condições de entrar em operação. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, além da falta de alvará de funcionamento, há algumas questões estruturais que precisam ser corrigidas. Um laudo com as observações feitas pelo Corpo de Bombeiros já foi repassado para que um engenheiro da Prefeitura de Uberlândia faça a conferência de todas as alterações necessárias.

O assistente técnico da Secretaria de Saúde, Clauber Lourenço, disse que é intenção do Município abrir a UPA, mas afirmou que não é possível apontar prazos. “A prioridade no momento é com as unidades onde tem pacientes internados”, disse, ressaltando que as Unidades de Atendimento Integrado (UAIs) estão com três vezes mais pacientes internados do que a capacidade instalada. Hoje, cerca de 350 pacientes estão internados nas oito unidades, incluindo a UPA Sul, no São Jorge.

Segundo Clauber, para tentar desafogar as UAIs, a Secretaria tem concentrado esforços na reabertura de leitos do Hospital Municipal – hoje estão fechados 45 leitos de enfermaria e 12 de UTI. “Isso vai dar rotatividade às UAIs num curto espaço de tempo. Temos pacientes nas UAIs precisando urgente de cirurgia e não temos leitos”, diz.

 

Retirada de equipamentos

 

Com a UPA Norte ainda sem condições de funcionamento, a Secretaria de Saúde tem feito a retirada de alguns equipamentos da unidade para suprir a carência ou substituir aparelhos sucateados nas UAIs. Desde o início do ano, dezenas de equipamentos de urgência e emergência foram retirados da UPA e levados para outras unidades da rede pública municipal. Segundo Clauber Lourenço, uma única pessoa foi nomeada pelo secretário de Saúde para fazer a retirada dos equipamentos como forma de manter o controle. “Tudo que foi retirado e para onde foi destinado está documentado”, disse o assistente técnico.

No início da semana, o vereador Silésio Miranda (PT) chegou a protocolar no Ministério Público Federal um pedido de investigação sobre a retirada dos equipamentos, por entender que a UPA recebeu recursos federais. O pedido foi feito depois que o parlamentar recebeu denúncias por meio de fotos e vídeos que circularam nas redes sociais sobre um eventual “desmonte” da unidade de saúde.

Dentre os equipamentos retirados estão desfibriladores, monitores, respiradores, compressores de gases e até um ar condicionado. “As salas de vacinação não podem funcionar sem ar condicionado e o da UAI Martins não estava funcionando”, disse Clauber. Segundo afirmou, alguns equipamentos estavam sucateados, enquanto outros simplesmente não haviam nas unidades. “A UAI Roosevelt, por exemplo, estava sem desfibriladores. Cada unidade precisa ter uma reserva técnica para não colocar em risco as pessoas numa necessidade”, disse.

Com relação a reposição dos equipamentos retirados da UPA Norte, o assistente técnico informou que será feito nova licitação para a compra dos produtos.

 

NOTA

Ex-prefeito diz que não houve pedido de alterações

 

Em nota, a assessoria do ex-prefeito Gilmar Machado informou que “a UPA Norte foi entregue pronta e equipada no final do ano passado. Nenhum pedido de adequação ou correções por parte do Corpo de Bombeiros havia sido apresentado antes”. Ainda de acordo com a nota, se alguma mudança foi feita pela atual gestão, como a retirada de equipamentos e mudanças na estrutura, cabe a ela apresentar aos órgãos competentes o relatório dessas alterações. A nota encerra informando que cabe à construtora responsável pela obra fazer as correções que forem apontadas.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »