07/02/2017 às 08h50min - Atualizada em 07/02/2017 às 08h50min

Chuva de sábado causa estragos e alagamentos

segundo deffesa civil, choveu 110 mm, quase metade de todo mês de janeiro

Walace Torres | Editor
Rua Patrulheiro Osmar Tavares, no bairro Santa Mônica, foi uma das afetadas pela chuva

 

     Equipes de limpeza e de operações tapa buraco da Prefeitura de Uberlândia e do Dmae passaram o domingo e o dia de ontem recolhendo entulhos, lixo, pedaços de asfalto e consertando os estragos provocados pela forte chuva que caiu na noite do último sábado. Segundo dados da Defesa Civil, durante o sábado e domingo choveu 110 milímetros, o que corresponde quase a metade de todo o volume de chuva que caiu durante o mês de janeiro (230 mm). A última vez que choveu tanto em tão pouco espaço de tempo em Uberlândia foi em maio de 2013, quando foram registrados 121 mm ao longo de um dia.

Várias ruas ficaram alagadas, especialmente nos bairros Tubalina, Planalto, Daniel Fonseca e Santa Mônica, que foram mais afetados. O rio Uberabinha chegou a transbordar em quatro pontos e a água invadiu residências no Tubalina, molhando móveis e pertences dos moradores. Nas avenidas Getúlio Vargas e Rondon Pacheco vários veículos rodaram com a força da correnteza.
A Defesa Civil registrou 141 ocorrências em toda a cidade durante o fim de semana. Dentre elas, 29 pontos de alagamentos, 31 pontos de enxurrada, cinco danos em alvenaria, três quedas de árvore, 14 residências alagadas e 41 veículos danificados e/ou com pane elétrica. “Durante a semana vamos continuar monitorando os locais onde houve problemas. Reforçamos aos motoristas não insistir em atravessar em locais alagados e pedimos a toda a população para descartar lixo nos locais corretos e não retirar o lixo de casa em dias de chuva”, disse o diretor da Defesa Civil, Capitão João Batista Afonso.
O Departamento de Água e Esgoto atendeu quase 200 chamados desde a noite de sábado até ontem. Boa parte das ocorrências foi na rede de esgoto e teve como principal fator o descarte incorreto de lixo e restos de material de construção. No Residencial Gramado, a Prefeitura encheu um caminhão de entulho retirado da ponte sobre o córrego que passa atrás do Parque Siquierolli. Apenas ontem, a Secretaria de Serviços Urbanos limpou 120 bueiros e bocas de lobo de pontos críticos.
Na Getúlio Vargas, placas de asfalto foram arrancadas com a força da água e arrastadas por vários metros. Na rua Patrulheiro Osmar Tavares, no Santa Mônica, o asfalto também ficou comprometido num quarteirão inteiro. Segundo o secretário de Obras, Norberto Nunes, serão necessários ao menos 15 dias para concluir todos os reparos no asfalto. “A gente acredita que na região do Planalto a quantidade de chuva do sábado foi até maior diante dos estragos”, diz Norberto, se referindo à falta de um medidor naquela região. 
Apesar dos alagamentos em residências, não houve pessoas desabrigadas e nem feridos.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »