25/04/2017 às 09h32min - Atualizada em 25/04/2017 às 09h32min

Galo e Raposa decidem

O principal campeonato mineiro volta a ser decidido por Atlético e Cruzeiro, o que não acontecia nos últimos dois anos, quando o Cruzeiro não chegou. O Galo chega à fase final e à decisão pela décima temporada seguida. O Atlético tem a vantagem regulamentar de jogar por dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo placar. E vai ter o centroavante e artilheiro Fred. Este teria de cumprir mais uma partida de sua suspensão de quatro jogos, mas o Atlético espera reduzir a pena na reunião de hoje do Tribunal Pleno do TJD mineiro e se não conseguir irá recorrer ao STJD, com pedido de efeito suspensivo, que normalmente é concedido neste caso. O Cruzeiro chega para os dois jogos decisivos como melhor time. Apesar de vir tendo problema de contusões de alguns jogadores importantes, o Cruzeiro tem conseguido superar com outros jogadores entrando no time ou voltando a ele com bastante qualidade. E tem personalidade definida, padrão de jogo e ótimo comando do técnico Mano Menezes. Portanto, a meu ver, o Cruzeiro é, tecnicamente, favorito ao título.

América

O América, na visão de seu técnico, seus dirigentes e de um comentarista esportivo observador e realista, foi até o seu limite. Para quem não prestou atenção, o América está fazendo um time absolutamente novo, a partir do dia seis de janeiro. Esse time só vai estar realmente pronto lá pela terceira ou quarta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, com a chegada e a inclusão de mais dois ou três bons reforços pontuais, principalmente no ataque. Com relação aos times que disputaram o mineiro do Módulo I, que já tinham base formada ou que começaram a formar seus times com antecedência de, pelo menos, um mês antes dele, o América esteve atrás de Cruzeiro, Atlético, Tombense, Tupi, Villa Nova, URT, Uberlândia e Caldense. Para o torcedor americano foi a terceira decepção no ano, pois o time não decidiu e muito menos ganhou a Primeira Liga, o Mineiro e a Copa do Brasil. Pior que a lamentação da maior parte da torcida do Uberlândia. Enquanto para mim, comentarista esportivo, dirigentes e jogadores a conquista da vaga para o Brasileiro da Série D de 2018 foi muito bom. Para o torcedor o time tinha que ter, no mínimo, chegado à fase semifinal e conquistado vaga para a Copa do Brasil.

A vez da Ponte?

Escrevi semana passada que a Ponte Preta de Campinas-SP já foi finalista do Paulistão quatro vezes e vice-campeã. Agora chegou novamente e vai decidir o título com o Corinthians. Seu presidente bateu o pé, com a dignidade que os presidentes dos clubes devem ter e muito não têm, rejeitou propostas financeiras vantajosas para mandar o jogo na capital paulista e a primeira partida será domingo próximo no Moisés Lucareli, o Magestoso, que, para quem não sabe, foi construído pela torcida, como antes a torcida do Vasco tinha feito com São Januário. A única vantagem do regulamento ao Corinthians, que chegou na frente na classificação da primeira fase, é mandar o segundo jogo, no domingo seguinte, na Arena Corinthians. Tomara que seja a vez da Macaca campineira sagrar-se campeã paulista.

Não dá mais

O Uberaba Sport, lamentavelmente, não vai subir de volta para o Módulo I este ano. Terminou o turno do hexagonal final do Módulo II em quinto lugar, com apenas quatro pontos ganhos. Dispensou o técnico Vantuil Rodrigues e contratou Gilmar Estevam. Este terá esta semana para fazer o milagre de tornar o time vencedor contumaz. Para ter alguma chance o Colorado terá que vencer os cinco jogos e chegar a 19 pontos. O líder, Patrocinense, já tem 13 e o vice, Betinense, 12. Antes do Uberaba o Boa tem oito e o Nacional de Muriaé tem seis. O Uberaba começaria acertando se Gilmar Estevam já fosse contratado para arrumar o time de 2018 para o Módulo II. 

Relacionadas »
Comentários »