13/08/2018 às 11h43min - Atualizada em 13/08/2018 às 11h43min

Pai é saúde!

ANGELA SENA PRIULI | COLUNISTA
Já sei, hoje todo mundo dirá que ele é amor, herói, exemplo.

Mas a verdade é que o pai não só nos dá a vida, mas também a define, desde antes da gente nascer, até na hora de virar vovô. Literalmente, de fio a pavio!
Como sempre, esse nosso papo só é possível porque centenas de cientistas dedicaram suas vidas para desvendar a beleza da natureza (#simapesquisanobrasil) e aqui vou revelar uns mistérios da paternidade.

1. Com que idade se tornar pai importa (também)!
Aham! Todo mundo já ouviu dizer que o relógio biológico só aperta as mulheres, mas não é bem assim. A proporção de pais que adiam ter filhos até os 35 anos de idade ou mais continua a aumentar, mas as consequências para a saúde a longo prazo para essas crianças ainda estão surgindo. Por exemplo, foi descoberto que a idade de um pai no nascimento de seu bebê está ligada ao risco de que seu filho desenvolva câncer no sangue e no sistema imunológico, especialmente para crianças, conclui um estudo realizado com 100 mil famílias. Planejamento familiar é importante para todos!

2. Pai juntinho da barriga = mais vida!
Estudos mostraram que os pais que são ativos na educação de seus filhos podem beneficiar significativamente o desenvolvimento inicial, o desempenho acadêmico e o bem-estar de seus filhos. Mas, um estudo que observou dados de 1,4 milhões de partos sugere que o envolvimento de um pai antes de seu filho nascer, durante o pré-natal, pode desempenhar um papel importantíssimo na prevenção da morte durante o primeiro ano de vida. Dentre os achados da pesquisa, foi visto que a taxa de mortalidade neonatal de bebês sem pai foi quase quatro vezes maior que a daqueles com pais envolvidos, as mães apresentam menos complicações durante a gestação (anemia, pré-eclampsia, por exemplo), os bebês nascem com peso mais adequado etc. Grude na mamãe, papai! É tão gostoso sentir as mudanças.

3. Amor de pai é vital para o "ser ou não ser"!
O amor de um pai contribui tanto - e às vezes mais - para o desenvolvimento de uma criança quanto o amor de uma mãe. Essa é uma das muitas descobertas de uma análise em grande escala de 36 pesquisas sobre o poder da rejeição e da aceitação dos pais e sobre como isso molda nossas personalidades. Descobriram que, em resposta à rejeição por parte dos pais, os filhos tendem a se sentir mais ansiosos e inseguros, além de mais hostis e agressivos com os outros. A dor da rejeição - especialmente quando ocorre durante um período de tempo na infância - tende a permanecer na idade adulta, tornando mais difícil para os adultos que foram rejeitados quando crianças formarem relações seguras e de confiança com seus parceiros íntimos. A grande ênfase nas mães e na maternidade trouxe uma tendência inapropriada de culpar as mães pelos problemas de comportamento e desajuste das crianças, quando, na verdade, os pais costumam ser mais implicados do que as mães no desenvolvimento de problemas como esses. Amor é de graça e faz toda a diferença!

4. Comendo melhor, o pai se torna avô. Hein?!
A visão de que os pais apenas transmitem material genético e não muito mais para seus descendentes foi desmascarada. Em vez disso, uma pesquisa descobriu que a dieta de um pai pode afetar a qualidade biológica e competitiva do esperma de seus filhos, permitindo com que eles tenham maior chances de também serem pais. O tal do comer é importante até para seus netos, papai!!
Seja nos planos, no colo, nas costas ou no coração, o melhor de tudo é encontrar nosso lugar junto de alguém pra chamar de PAI e ser feliz e saudável! Muito amor hoje e sempre! ❤

Fontes:
1. Teras L. Parental Age at Birth and Risk of Hematological Malignancies in Older Adults. American Journal of Epidemiology, May 2015
2. University of South Florida (USF Health). "Father involvement in pregnancy could reduce infant mortality." ScienceDaily. ScienceDaily, 17 June 2010.
3. Khaleque & Rohner. Transnational Relations Between Perceived Parental Acceptance and Personality Dispositions of Children and Adults: A Meta-Analytic Review. Personality and Social Psychology Review, 2011; 16 (2): 103
4. Zajitschek F. High-protein paternal diet confers an advantage to sons in sperm competition. Biology Letters, 2017; 13 (2): 20160914
Relacionadas »
Comentários »