06/10/2016 às 12h42min - Atualizada em 06/10/2016 às 12h42min

Cuidado com o diabetes infantil

Doença silenciosa que pode causar danos irreparáveis

Ação & Comunicação

     Uma alimentação balanceada, atividades físicas e o monitoramento é fundamental para garantir o bem-estar dos pequenos.  
     Melhor do que presentear uma criança é mantê-las com saúde. Crianças e adolescentes ficam cada vez mais em frente da TV, no celular ou sentados nas escolas por muito tempo e, consequentemente, se alimentando do jeito que tem vontade. Do total de brasileiros portadores, 1 milhão são crianças. 
Já que são os pais ou responsáveis que os alimentam as crianças devem evitar o açúcar ou alimentos adocicados pelo menos até os dois anos de idade, sucos artificiais, alimentos ricos em corantes e conservantes, gordura saturada, como por exemplo frituras, margarina, manteiga, embutidos: presunto, linguiça, salsicha, etc., ficam fora de uma dieta saudável. Os queijos amarelos, temperos industrializados e produtos de panificação também compõem a lista de vilões. Evitar, ketchup, maionese, pães recheados, suco de caixinha, salgadinhos, chocolates e refrigerantes entre outros é importante para uma educação alimentar infantil.
     Falar de diabetes hoje é um assunto realmente sério e quanto se trata da doença nas crianças então, o problema se torna mais delicado ainda. Porém, não é um motivo para se desesperar. Apenas entender sobre a doença, prestar atenção na alimentação e monitorar a criança.
    Dra. Adriana Juliani, farmacêutica responsável do laboratório Analitic, explica: “Diabetes é uma alteração na produção do hormônio insulina pelo pâncreas ou uma resistência à ação da insulina pelo organismo”. Quando a pessoa sofre de diabetes, o pâncreas produz pouca insulina fazendo com que o açúcar fique acumulado no sangue.
Quando uma criança, até então sadia, passa a sentir muita sede, urinar muito, aumentar o apetite ao mesmo tempo que perde peso rapidamente e apresentar fraqueza é a hora de procurar um médico pediatra ou endocrinologista. Existem dois tipos de diabetes, a do tipo 1 e a do tipo 2. O diabetes tipo 1 é o mais comum em crianças, pois pode surgir desde as primeiras semanas de nascimento até os 30 anos, mas é entre os 5 e 7 anos, durante a puberdade que mora o perigo e a atenção precisa ser redobrada. A diabetes está relacionada a falta ou pouca produção de insulina, o que faz com que não se consiga controlar a taxa de glicose ingerida.
     Já a diabetes tipo 2 é hereditária e acontece quando as células resistem à ação da insulina, mesmo que sua produção seja normal. Antigamente era uma doença de adulto, mas com a elevação da taxa de obesidade infantil associada a uma vida sedentária e com maus hábitos alimentares, esse tipo de diabetes aumentou consideravelmente entre as crianças.
     Algumas dicas valiosas para prevenir a diabetes são o aleitamento materno, evitar a alimentação artificial rica em açúcares desnecessários nesta fase. Então se deve manter uma alimentação saudável para evitar a obesidade infantil. Outra ideia boa para ser aderida pelos pais é levar as crianças para brincarem e praticarem esportes e assim, evitar que fiquem sedentários.
     Uma coisa é certa, quanto mais cedo a diabetes for detectada, menores são as chances de complicações futuras. Portanto, notando os sintomas da diabetes infantil (sede, aumento de fome e emagrecimento, aumento do número de vezes em que urina, mal estar, sonolência, fraqueza, tonturas, câimbras e formigamentos) o ideal é partir para os testes. Mas, o exame destro pode assustar os pequenos, pois é preciso furar o dedo anelar e colher uma gotinha de sangue para verificar a quantidade de glicose no organismo.
     Foi pensando nisso que a Analitic criou o Confirme Glicose+Corpos Cetônicos que tem como objetivo, oferecer mais uma alternativa de monitoramento aos diabéticos e aos adeptos de dieta com grande restrição de carboidratos, através da urina, com a vantagem de medir dois parâmetros ao mesmo tempo.
      O Confirme Glicose+Corpos Cetônicos são tiras com membranas reagentes para glicose e cetonas afixadas numa das extremidades. A amostra e os resultados são obtidos comparando as cores desenvolvidas nas membranas com a tabela de cores no rótulo da embalagem.  A detecção da glicose é baseada na reação cromogênica de oxidase-peroxidase.   Glicosuria positiva, ou seja, presença de glicose na urina juntamente com cetonuria positiva indica uma situação de descontrole do metabolismo. Orientação médica é fundamental o mais rápido possível.  Glicosuria negativa com cetonuria positiva indica tempo de jejum prolongado e caso a cetonuria for muito alta é recomendável uma consulta médica para averiguação.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »