22/09/2016 às 07h05min - Atualizada em 22/09/2016 às 07h05min

Para reorganizar esquema do Coritiba, técnico torce por retorno de lesionados

Carpegiani lamenta a falta de peças e espera banco mais completo para partida contra Palmeiras. Contra Belgrano, Coritiba entrou em campo sem três titulares absolutos

Carpegiani (Foto: Gabriela Ribeiro)

Carpegiani (Foto: Gabriela Ribeiro)

Carpegiani espera retornos do DM contra Palmeiras, no sábado, e contra Belgrano, na quarta (Foto: Gabriela Ribeiro)

O departamento médico com vários jogadores em recuperação foi um dos entraves do Coritiba na derrota para o Belgrano, na Copa Sul-Americana. Depois da última rodada do Campeonato Brasileiro, o zagueiro Luccas Claro e o meia Raphael Veiga, além do volante Amaral, foram vetados para a partida. A obrigação de conseguir o resultado no primeiro jogo da competição internacional ficou nas costas de um time bem diferente daquele que o técnico Paulo César Carpegiani costuma escalar. 

– Todo o clima na partida gerou uma enorme responsabilidade em uma equipe desfalcada. Não gosto e nunca lamentei ausência desse ou daquele. São diversos titulares, mas lamento a falta daqueles que poderiam ser efetivos na realidade. Próximo jogo vamos ter que avaliar bem e contar com o Departamento Médico para reforçar nossa equipe – afirmou o treinador.

Carpegiani optou pelo retorno do lateral Carlinhos, na vaga que tem sido ocupada por Juan. Na zaga, colocou Nery Bareiro e Juninho, para dar mais tempo de recuperação a Walisson Maia. No meio-campo, o técnico ficou sem o fundamento de "gancho" para o ataque, como costuma chamar a função de Raphael Veiga, e entrou com Ícaro e Yan. As opções foram sentidas pelo treinador, que disse que nem defesa, nem intermediária foram bem na partida contra o time argentino. 

– O Walisson Maia levei pra ficar no banco. Ia usá-lo só em caso de lesão, porque não tem mais zagueiro nenhum. Tentamos inscrever o menino Giovani (da base) para, pelo menos, ficar no banco. Maia, como não sentiu, treinou quarta de manhã. Eu não quis usá-lo com medo de acarretar qualquer tipo de problema mais na frente. O Juan queria jogar. Optei por não deixa-lo jogar, porque pode ocasionar lesão e ficar ainda mais tempo fora. Fiquei com medo de não tê-los contra o Palmeiras ou na outra quarta, que aí sim passa a ser o jogo decisivo – ponderou Carpegiani. 

Veja também
Tabela da Copa Sul-Americana
Atuações do Coxa: Kazim desperdiça, Leandro converte e Nery segura zaga
Depois de público recorde do ano, Carpegiani pede desculpas à torcida

A expectativa de Carpegiani é poder contar com a volta de algum dos principais jogadores já na próxima rodada do Campeonato Brasileiro. O retorno de peças para a Sul-Americana é ainda mais esperado, já que a semana dá mais tempo de recuperação aos jogadores. 

– Talvez tenhamos a volta de um ou outro jogador importante. A equipe vem num equilíbrio. Tivemos dificuldade no jogo porque a bola queimou muito e o primeiro gol pesou demais. Era uma equipe que sabíamos a qualidade e foi favorecida. A nossa equipe ficou nervosa, correu desesperadamente e erradamente. Acabamos pagando esse preço da derrota. Já pedimos desculpas. Agora, tenho que dar uma repensada. Sempre estamos repensando o time – contou o treinador. 

O Coritiba entra em campo no próximo sábado, às 16h (horário de Brasília), contra o Palmeiras. A partida é válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Contra o Belgrano, o jogo de volta é na quarta-feira, às 21h45, em Córdoba. 

Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.com/parana



Notícias Relacionadas »
Comentários »