19/09/2016 às 10h05min - Atualizada em 19/09/2016 às 10h05min

Apresentado, Renato elogia grupo e promete um Grêmio "diferente"

Contratado para o lugar de Roger para cumprir contrato de três meses, técnico admite priorizar a Copa do Brasil, mas evita jogar a tolha no Campeonato Brasileiro

O maior ídolo da torcida do Grêmio voltou para casa. Contratado para substituir Roger Machado até o final do ano, Renato Portaluppi foi apresentado como treinador do Grêmio na manhã desta quarta-feira, na Arena. Recebeu do presidente Romildo Bolzan Júnior a camisa de número 113, alusiva ao aniversário do clube, e prometeu muito trabalho para findar com a crise técnica do time e a série de sete jogos sem vitória no Campeonato Brasileiro.

– O papel do treinador é procurar fazer o time jogar bem, em busca de vitórias. Muitos jogam bem e os resultados não aparecem. Sempre sobra para o treinador se não tem resultado. O (Grêmio) tem um bom grupo, na minha opinião merecia estar melhor colocado no campeonato. Vindo para cá, vou procurar contribuir com o grupo para que a gente busque as vitórias. No grande clube, o treinador vive de vitórias – afirmou Renato.  

LEIA MAIS

> Torcida do Grêmio recebe Renato
> Os 7 desafios de Renato no Grêmio
> Grêmio confirma Renato e Espinosa

Renato Grêmio (Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com)

Renato Grêmio (Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com)

Renato é apresentado no Grêmio (Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com)




O novo técnico gremista deu a entender que vai priorizar a Copa do Brasil, mas não jogou a tolha no Campeonato Brasileiro – com a derrota para o Fluminense, o Grêmio caiu para a 11ª posição na tabela, com 37 pontos, a oito do G-4. Falou sobre o esquema que pretende adotar e prometeu um Grêmio diferente já na partida desta quarta-feira contra o Atlético-PR, na Arena, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. 

– Sempre gostei de time ofensivo, mas precisa ter as peças. Muita gente criticava o time em 2013 porque tinha três cabeças de área. Tinha times com 4 atacantes e não chegaram. Às vezes, o treinador quer um esquema, no momento que tem as peças vai realizar o sonho do esquema dele. Mas o Grêmio vai ser diferente a partir de quarta, pode ter certeza – prometeu.

Renato terá sua terceira passagem pelo Grêmio como técnico, agora aos 54 anos. Assumiu o Tricolor em 2010 e 2013, conseguindo classificar o time para a Libertadores nas duas ocasiões. Essa, aliás, é a esperança da diretoria. Com a derrota para o Fluminense, o time caiu para a 11ª posição na tabela, com 37 pontos, e se distanciou ainda mais do G-4. 

O último trabalho de Renato como treinador foi em 2014, quando teve a quinta passagem pelas Laranjeiras. Comandou o Fluminense em 18 partidas e foi demitido após eliminação na semifinal do Carioca. Teve nove vitórias, cinco empates e quatro derrotas, um aproveitamento de 59,2%.

Valdir Espinosa, por sua vez, é responsável pela maior conquista da história do Grêmio. Foi o treinador que levou o Tricolor gaúcho a ser campeão da Libertadores e do mundo em 1983. Como coordenador técnico, terá trânsito em todas as categorias do clube.  O ex-treinador também teve uma segunda passagem pelo clube em 1986, quando foi campeão gaúcho. Embora tenha circulado pelo futebol brasileiro como técnico, nunca mais voltou a comandar o Tricolor. O último trabalho ocorreu no Metropolitano, neste ano, no qual disputou apenas sete partidas, com duas vitórias, dois empates e três derrotas.

Confira as notícias do esporte gaúcho no globoesporte.com/rs



Notícias Relacionadas »
Comentários »