05/09/2016 às 20h45min - Atualizada em 05/09/2016 às 20h45min

Após impeachment, cúpula do PSDB pressiona Temer por reforma na Previdência

Aliados de Temer afirmam que governo precisa sinalizar de maneira mais objetiva direção do que pretende fazer em relação ao déficit previdenciário

Governador de São Paulo e presidente nacional do PSDB: tucanos cobram agilidade do governo de Michel Temer

Governador de São Paulo e presidente nacional do PSDB: tucanos cobram agilidade do governo de Michel Temer

Luis Philipe Souza/iG São Paulo - 13.03.16
Governador de São Paulo e presidente nacional do PSDB: tucanos cobram agilidade do governo de Michel Temer

O senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pediram nesta segunda-feira (5) mais agilidade ao presidente Michel Temer para enviar o projeto de reforma da Previdência – para reduzir o crescimento dos gastos com aposentadoria – ao Congresso Nacional. Os dois se encontraram no Palácio dos Bandeirantes, sede do Executivo paulista.

“É preciso que o governo sinalize de forma mais objetiva na direção daquilo que pretende fazer este ano”, disse o senador mineiro. “Para chegar à terra prometida é preciso medidas concretas, rápidas e convicção nas medidas. Agora é agir rápido do lado fiscal e em reformas estruturantes”, emendou Alckmin.

LEIA MAIS: Comentários de “Fora Temer” dominam página do G20 no Facebook

Para o presidente nacional do partido, Michel Temer deve dar “sinais muito claros” das medidas que serão tomadas em seu governo: “Tem que avançar nessa direção. Não é opção, é necessidade. Se avaliou que a agenda deve ser implantada depois das eleições o governo deve ter suas razões.”

LEIA MAIS: Michel Temer ganha "imunidade" após efetivação como presidente

Aécio discursou ainda que o PSDB “não faz ameaça” e que é um “parceiro desse projeto enquanto confiar nele”. “A reforma da Previdência não é um capricho, é preciso fazer a reforma pra daqui a dez anos os beneficiários continuam a receber”, enfatizou.

Notícias Relacionadas »
Comentários »