11/06/2022 às 11h00min - Atualizada em 11/06/2022 às 11h00min

Gabriel Bandeira é esperança de medalhas no Mundial de Natação Paralímpica

Com nove atletas, delegação do Praia Clube participa da competição na Ilha da Madeira, em Portugal

IGOR MARTINS | DIÁRIO DE UBERLÂNDIA
Recordista mundial no 100m borboleta, Gabriel Bandeira conquistou quatro medalhas em Tóquio 2021 | Foto:
A partir deste domingo (12), a equipe de natação paralímpica do Praia Clube vai competir no Campeonato Mundial de Natação Paralímpica, na Ilha da Madeira, em Portugal. A competição vai reunir mais de 600 atletas de 70 países durante toda a semana. Dos 29 atletas da delegação brasileira, oito são do clube de Uberlândia.

Vão representar o Praia Clube os atletas Gabriel Bandeira, João Brutos, Wendel Belarmino, Samuel Oliveira, Tiago Oliveira, Talisson Glock, Laila Abate e Guilherme Silva. O mundial é o primeiro torneio do ciclo paralímpico para Paris 2024. Além disso, dois profissionais vão compor a comissão técnica: Alexandre Vieira e Lucas Oliveira.

Natural de Indaiatuba (SP), Gabriel Bandeira, também conhecido como Bill, é a esperança de medalhas no Campeonato Mundial. Após conquistar quatro medalhas em Tóquio, sendo uma de ouro, duas de prata e uma de bronze, o nadador espera garantir novas conquistas na terra portuguesa.

Ele vai nadar em sete provas durante o mundial, incluindo 200m livre, 100m costas, 100m peito, 200m medley e 100m borboleta, além dos revezamentos 4x100m livre e 4x100m medley.

Aos 22 anos, Bill praticou natação convencional por quase dez anos. Em 2019, ele foi avaliado como classe S14 (atletas com deficiência intelectual) e migrou para o paralímpico. Detentor do recorde mundial dos 100m borboleta S14, o nadador conversou com a reportagem e falou sobre a expectativa de mais uma competição. Confira abaixo:

Diário: Você chegou como esperança de medalhas nas Olimpíadas de Tóquio em 2021 e faturou quatro e novamente é esperança de medalhas no mundial. Como é lidar com a pressão do favoritismo no dia a dia?

Gabriel: Acho que o desafio de um grande atleta é se manter no topo. O objetivo é sempre ganhar e melhorar as marcas. É normal ter a pressão no esporte, a cobrança dos resultados eu faço comigo mesmo primeiro. Eu tento ficar tranquilo no momento da competição e confiar no que venho treinando todos os dias. É executar o que foi planejado.

D: O trabalho psicológico é tão importante quanto o físico nos dias atuais. Como isso é trabalhado dentro do Praia Clube e como isso te ajuda nas competições?

G: O Praia Clube nos oferece uma boa estrutura multidisciplinar, mas o trabalho de psicologia no meu caso é particular. Eu tenho o acompanhamento de uma neuropsicóloga. Procurei uma especialista para alinhar melhor os traços da minha deficiência intelectual com todo controle emocional necessário para competir. Estou feliz com o trabalho, acredito que estamos evoluindo bem enquanto equipe.

D: Com apenas 22 anos, você já é um dos principais nomes da natação paralímpica brasileira. Gostaríamos de saber como é o Bill fora da água. O que você mais gosta de fazer, quais são seus hobbies?

G: Para começar é bem difícil de me ver fora da água. Mesmo sem ter treino eu acabo entrando na piscina, até ne domingo! Mas eu gosto de criar meu beatbox, jogar vídeo game e ficar em casa.

D: Você precisou mudar de vida após descobrir estar na S14. Como foi essa mudança?

G: Até eu aceitar o diagnóstico da minha deficiência e encarar o esporte paralímpico levou um tempo. Mas quando eu fiquei bem com isso, acabei precisando me mudar. Mudei de cidade e de clube. A rotina de treinos e vida de atleta não, mas agora me sinto mais confortável neste ambiente com pessoas com deficiência. Aqui eu posso ser eu mesmo e estou leve.

D: O Alexandre Vieira descobriu seu potencial nas modalidades da natação. Como é sua relação com o treinador?

G: É uma relação muito boa. O Alexandre é muito dedicado e se preocupa com todas as adaptações necessárias para que eu possa realizar o melhor treino e o meu melhor nas competições. Como ele tem muita bagagem no paralímpico, ele lidou muito bem com a minha recepção no Praia e eu confio muito no nosso trabalho.

D: Você é natural de Indaiatuba. Quando você chegou a Uberlândia? Está adaptado à cidade? O que tem a dizer sobre a estrutura da cidade e do Praia Clube?

G: Eu cheguei em Uberlândia em 2020 e já estou bem tranquilo na cidade. A estrutura do Praia Clube é muito boa e foi decisiva para eu optar pela cidade. É um ambiente muito profissional, mas muito humano também, todos me acolheram da melhor forma e estou feliz e confortável. Já me sinto em casa por aqui.

PROGRAMAÇÃO
Confira abaixo o cronograma de prova dos atletas do Praia Clube: 

DIA 1 (12/06)
Gabriel Bandeira – 200m livre
João Brutos – 200m livre
Wendell Belarmino – 50m livre
Samuel Oliveira – 50m livre

DIA 2 (13/06)
Gabriel Bandeira – 100m costas
Guilherme Silva – 100m peito
Wendell Belarmino – 100m borboleta
Talisson Glock – 100m livre
Samuel Oliveira – 50m costas
Tiago Oliveira – 50m costas
Laila Abate – 100m livre

 DIA 3 (14/06)
Gabriel Bandeira – 100m peito
João Brutos – 100m peito
Guilherme Silva – 100m livre
Talisson Glock – 200m medley
Samuel Oliveira – 50m borboleta
Tiago Oliveira – 50m borboleta

 DIA 4 (15/06)
Talisson Glock – 400m livre
Samuel Oliveira – 200m medley
Tiago Oliveira – 200m medley
Laila Abate – 400m livre

 DIA 5 (16/06)
Gabriel Bandeira – 200m medley
João Brutos – 200m medley
Guilherme Silva – 50m livre
Wendell Belarmino – 100m livre
Talisson Glock – 50m livre
Laila Abate – 50m livre/100m peito

 DIA 6 (17/06)
Wendell Belarmino – 100m costas
Samuel Oliveira – 100m peito

 DIA 7 (18/06)
Gabriel Bandeira – 100m borboleta
João Brutos – 100m borboleta
Talisson Glock – 50m borboleta
Laila Abate – 50m borboleta
 

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram
Notícias Relacionadas »
Comentários »