10/05/2016 às 17h22min - Atualizada em 10/05/2016 às 17h22min

Senado vota impeachment de Dilma Rousseff nesta quarta-feira

Secretaria-Geral previa que sessão invadisse a madrugada de quinta-feira (12). Renan Calheiros tentará acordo para que senadores falem menos de 15 minutos

G1
Dilma deve ser afastada por 180 dias

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), declarou nesta segunda-feira (9) que pretende concluir a votação sobre a abertura ou não do processo de impeachment pelo Senado na noite desta quarta-feira (11). Para que isso aconteça, Renan espera chegar a um acordo com líderes partidários para que os senadores inscritos utilizem menos de 15 minutos para discutir e encaminhar votos.

Nesta quarta-feira, o Senado vai se reunir para votar o parecer da comissão especial, lido nesta segunda em plenário, que recomenda a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Se o parecer for aprovado pela maioria simples dos senadores (metade dos presentes mais um), a petista será afastada da sua função por 180 dias, e o vice Michel Temer assumirá a presidência da República.

Renan disse ainda que a sessão deverá ser aberta às 9h da manhã e interrompida ao meio-dia. Depois, a sessão será reaberta às 13 horas e interrompida novamente às 18h. A votação aconteceria em um terceiro momento da sessão que iniciaria às 19h e seguiria até o encerramento da votação.

Previsão anterior

Cálculos anteriores da Secretaria-Geral da Mesa do Senado previam pelo menos 20 horas de discussão do tema entre senadores. Os técnicos estimavam que cada parlamentar iria discursar por 15 minutos, e que de 70 a 75 senadores se inscreveriam para falar. Com isso, a sessão, que iniciaria às 10h de quarta-feira, invadiria a madrugada de quinta (12). O presidente do Senado explicou que haverá dois tipos de listas: uma para defensores do governo e outra para senadores a favor do impeachment.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »