13/07/2021 às 08h00min - Atualizada em 13/07/2021 às 08h00min

Karatecas de Uberlândia recebem faixa preta

Federação Mineira de Karatê (FMK) e Confederação Brasileira de Karatê (CBK) fizeram a graduação na cidade

FERNANDO NATÁLIO
Karatecas receberam a faixa preta em Uberlândia I Foto: Divulgação
Em evento esportivo realizado em Uberlândia, karatecas da cidade receberam a faixa preta entregue pela Federação Mineira de Karatê (FMK) e Confederação Brasileira de Karatê (CBK). Treinados pelo sensei Rui Barbosa Parente, que tem mais de 50 anos dedicados ao karatê, os karatecas de Uberlândia foram graduados no sábado (12).
 
Heitor Sousa foi um dos caratecas de Uberlândia graduados. Com 47 anos de idade, o atleta pratica o karatê desde os 13 anos. Segundo ele, a entrega da faixa preta fechou um ciclo na sua vida e iniciou outro. “A emoção é inefável, algo que não dá para explicar. Ter minha mãe me entregando a faixa, um filme vem à memória: perda do pai na adolescência, formatura, vitória de um terrível câncer, o início da carreira acadêmica como professor universitário”, disse.
 
O karateca afirmou que o karatê continuará norteando sua vida pessoal e profissional. “A ideia é prolongar o legado. Ou seja, ministrar aos meus alunos universitários a importância do esporte e, em especial, da arte marcial. O esporte te direciona para boas e saudáveis condutas, mas foi o Karatê que me ensinou a enfrentar o medo, as angústias e adversidades que a vida nos impõe”, pontuou.
 
Outro karateca graduado, Pierre Zago, que pratica a arte marcial há 40 anos, disse que o karatê faz parte de sua vida e que recebeu a faixa preta com muita gratidão. “Foi uma confraternização maravilhosa e receber a faixa preta foi uma sensação incrível”, disse o atleta de Uberlândia, de 46 anos, que já integrou as seleções mineira e brasileira de karatê.
 
Com 51 anos dedicados ao karatê, o sensei Rui também destacou a importância do karatê e das graduações e elogiou seus atletas que receberam a faixa preta. “Meus alunos foram reconhecidos pela Federação Mineira de Karatê e pela Confederação Brasileira de Karatê. Com eles sendo homenageados, me senti muito feliz e muitas vezes fiquei emocionado, assim como eles também”, afirmou. “O karatê representa minha vida, tudo. Sem ele, eu não seria essa pessoa que sou”, completou o sensei, que vai fazer 70 anos no início de agosto.


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »