29/01/2020 às 12h01min - Atualizada em 29/01/2020 às 12h01min

Antônio Carrijo e Adriano Zago rejeitam assumir cargos interinos na Câmara

Vereadores argumentam impedimento regimental em ofícios protocolados nesta terça (28) no Legislativo de Uberlândia; Wilson Pinheiro segue sozinho na mesa diretora

DA REDAÇÃO

Desde que retornou ao seu mandato na Câmara Municipal de Uberlândia, Wilson Pinheiro (PP) tem sofrido com a resistência dos demais vereadores por ter assumido a presidência da Casa, já que antes das prisões e afastamento de diversos políticos, incluindo toda a mesa diretora, era o 2º vice-presidente.

Nesta terça-feira (28) o ex-presidente interino da Câmara, Antônio Carrijo (PSDB), enviou um ofício para Wilson Pinheiro informando que não poderá continuar na mesa diretora como Ordenador de Despesas, como desejava o presidente. Entre as justificativas dadas por Carrijo, está a falta de regras específicas no Regimento Interno para suprir o cargo e a falta de tempo hábil para os trâmites legais para o cumprimento dos compromissos financeiros da Casa, que já estão atrasados.

Carrijo também descreve os encontros que teve com Wilson Pinheiro, tentando demovê-lo da ideia de assumir a presidência da Câmara de imediato, já prevendo problemas administrativos na casa. “Ciente dos procedimentos em andamento na Câmara, em especial com relação ao pagamento dos servidores e às prestações de contas a serem feitas ao Tribunal de Contas e à Prefeitura, de responsabilidade da Câmara Municipal, que tem prazos a serem cumpridos nos últimos dias do mês, procurei V.Sa. no domingo, dia 26.01 para solicitar a sua volta na segunda como Vereador e que abdicasse da Presidência até quarta-feira, o que seria tempo suficiente para solucionar essas questões, em especial o pagamento dos servidores”.

Outra sugestão, segundo Carrijo, era que Wilson assumisse a presidência somente no dia 4 de fevereiro. “...justificando tal pedido diante da minha preocupação em relação ao clamor da população no primeiro dia de Sessão Ordinária, o que pouparia V.Sa. de desgastes, evitando prejuízos à Vossa saúde que, sabemos, está fragilizada”.

Outro vereador que também encaminhou um ofício ao presidente da Câmara foi o ex-ordenador de despesas interino, Adriano Zago, que alegou que o cargo deveria ser ocupado pelo vereador mais idoso dentre os que possuem mais legislaturas, no caso, Carrijo.

O ofício de Adriano Zago também consta que todo o imbróglio poderia ser evitado se Wilson Pinheiro tivesse atendido ao pedido de Antônio Carrijo e não ter assumido a presidência da Câmara.


O documento de Zago esclarece ainda que o exercício da função interina foi retirado porque não existe mais fundamentos e nem atende aos requisitos regimentais que o levaram a ser empossado. Portanto, a função de ordenador de despesas deve passar a ser exercida, interinamente, pelo vereador mais idoso dentre os de maior número de mandatos até a realização das novas eleições no dia 18 de fevereiro ou até o retorno dos titulares afastados judicialmente.


O Diário de Uberlândia tentou contato com Wilson Pinheiro, mas até o momento não teve retorno.












 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »