10/01/2020 às 13h35min - Atualizada em 10/01/2020 às 13h35min

Capital acreana fica em alerta com transbordamento do Rio Acre

Previsão é que nível do rio suba mais até as 23h de hoje

AGÊNCIA BRASIL
Cheia do rio Acre deixa capital em alerta. | Foto: Sérgio Vale/ Agência de notícias do Acre

A cheia do Rio Acre mantém a capital acreana, Rio Branco, em estado de atenção. Desde ontem (8), o rio ultrapassou a cota de transbordamento, de 14 metros, e, Segundo o Serviço Geológico do Brasil, o nível deve atingir 14,55 metros às 23h de hoje (9).

Segundo o governo estadual, ao meio-dia de hoje, o nível do Rio Acre já atingia 14,29 metros. Ao percorrer trechos do curso d´água a bordo de uma lancha do Corpo de Bombeiros, o vice-governador Major Rocha e o secretário estadual de Assuntos Estratégicos, Thiago Caetano, verificaram que diversos bairros localizados às margens do rio já estavam alagadas, assim como algumas localidades na zona rural da capital.

A elevação do nível de água no Rio Branco esta semana já deixou 50 famílias desalojadas em Brasileia e cinco em Rio Branco. Diante da preocupação com a situação, o vice-governador garantiu que todo o aparato estatal está de prontidão para, se necessário, socorrer e prestar assistência à população afetada pelo transbordamento do rio. 

“Temos uma preocupação muito grande com o período que enfrentamos, que é de cheia dos nossos rios. É necessário fazer esse monitoramento constante. Saber como está o regime de águas e ver também os impactos da cheia nesse período na zona urbana e na zona rural”, disse o vice-governador.

Em Brasileia, onde o Rio Acre transbordou na última quarta-feira (8), a expectativa é que a situação retroceda, em função da vazante. Pela  manhã, as águas já haviam baixado para 9,20 metros no município.

A orientação da Defesa Civil estadual é que as famílias, caso precisem se retirar, se alojem em casas de parentes ou procurem os abrigos construídos no parque de exposições da capital. Além disso, é preciso redobrar os cuidados, principalmente com crianças, em razão do aparecimento de animais peçonhentos. Também deve-se evitar contato com a água e locais energizados.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »