30/11/2019 às 11h00min - Atualizada em 30/11/2019 às 11h00min

América e Floresta fazem final mais tradicional dos últimos anos

Os clubes foram fundados em 1946 e já disputaram a divisão de acesso do Campeonato Mineiro profissional

EDER SOARES
O Floresta foi campeão da competição em 2016 | Foto: Vilmar Silva

O Campeonato Amador definirá nos dois próximos finais de semana quem será o campeão da divisão especial deste ano. E para brindar uma temporada recheada de muitas emoções, estarão na decisão duas das equipes mais tradicionais do futebol da cidade, ambas fundadas em 1946. Os dois times chegaram a se profissionaliza algumas décadas atrás. O Floresta disputou a divisão de acesso do Campeonato Mineiro nos anos de 1963, 1964 e 1965, enquanto o América em 1978.

O primeiro confronto daquela que é considerada como a final mais tradicional dos últimos tempos, acontecerá neste domingo (1º), às 10h, no Estádio Airton Borges, que promete receber um público superior a 2 mil pessoas. O Floresta conta com melhor campanha ao longo do certame, situação que não lhe dará vantagem nos dois confrontos. Se ao final do segundo jogo, programado para o dia 8 de dezembro, as equipes terminarem empatadas, a decisão do título será definida com a cobrança de pênaltis.

O presidente da Liga Uberlandense de Futebol (LUF), Renato Batista, garante que a expectativa da entidade é para que os torcedores de Uberlândia assistam uma final histórica e que estará carregada de muitas emoções. Para ele, não existe favoritismo entre duas equipes tão tradicionais.

“Acho que não poderíamos terminar 2019 melhor. Ter na final América e Floresta é um privilégio muito grande, principalmente em virtude de toda a história que estas duas agremiações têm com a nossa cidade. Deixo aqui os meus cumprimentos aos outros semifinalistas, que não conseguiram estar na final, bem como todos os clubes que participaram de forma brilhante da competição. Que vença o melhor e quem irá ganhar com isso são os torcedores”, disse Batista.

O Floresta, maior ganhador de títulos na história do Campeonato Amador, tentará o seu sexto título da elite. O Dragão da Vila Operário, como é tradicionalmente conhecido, tem sede atual no bairro Minas Gerais, na zona norte da cidade. As conquistas do clube na primeira divisão aconteceram em 1948, 1949, 1962, 1963 e 2016. Ano passado, a equipe chegou novamente à final, mas foi superada pelo Tibery, que ficou com o título.

FLORESTA
Ao longo de sua história, o Floresta revelou nomes conhecidos para o futebol brasileiro e que chegaram a vestir a camisa da seleção brasileira como o goleiro Nego, que atuou pelo Cruzeiro e foi campeão goiano pelo Craque; Quarenta, que jogou no futebol do Rio de janeiro e também no exterior. Teve ainda Marrom, que atuou no Atlético Mineiro e também pela seleção brasileira, além de Andes, que jogou na Portuguesa de Desportos e Barretos.

No atual elenco, o Floresta conta com jogadores experientes e ex-profissionais como o lateral-direito Geison, que passou pelo Uberlândia Esporte Clube (UEC) e outros clubes. Mas o alicerce do time está no comando técnico, com o experiente Carivan Cordeiro, o mesmo treinador que comandou o Dragão no título conquistado em 2016. Para ele, esta final promete ser uma das mais emocionantes de todos os tempos, até mesmo por ser duas equipes tão tradicionais.

“São dois elencos fortes, experientes e que vão procurar o melhor pelas suas equipes. Acredito na força do Floresta, que foi um time bastante consistente ao longo da competição. Acho que o América entra em igualdade de condições técnicas, mas estamos montando uma estratégia para que possamos, nos 180 minutos de jogo, conseguir mais este título”, disse Carivan.

O lateral Geison acredita no entrosamento do Floresta, para sair com o título. “Nossa equipe deu liga ao longo do campeonato e isso vem fazendo a diferença. No futebol, o entrosamento é fundamental. É dessa forma, mas sempre com muita vontade e determinação que vamos fazer dois grandes jogos diante do América para que possamos ser recompensados com o título”, afirmou.
 
AMÉRICA
O América, que representa os bairros São Jorge, Santa Luzia e Granada, ambos na zona sul de Uberlândia, não começou bem o Campeonato Amador. O time que tem como presidente e treinador Adão Costa, precisou lutar até as últimas rodadas da fase classificatória para seguir na competição. Mas aos poucos, Adão conseguiu dar corpo ao time, que reagiu e foi vencendo etapas até eliminar nas semifinais o Santa Luzia, que tinha melhor campanha da competição.

 Á frente do América desde 1981, Adão Costa tem no sangue o DNA vermelho americano e acredita na conquista do segundo título do clube. A equipe americana soma quatro vice-campeonatos. O primeiro e único aconteceu em 2009.   “Conseguimos chegar a mais uma final, com muitas dificuldades, principalmente nas semifinais, quando enfrentamos o bom time do Santa Luzia. Agora somos os dois times mais velhos em atividade no futebol amador, e dois times parelhos, ambos com grandes jogadores. Tenho certeza que agora vai sobressair quem tiver maior concentração, maior determinação, vontade e ousadia. Estamos muito confiantes, disse Adão”.

O volante Mário César, uma das lideranças da equipe, acertou a sua ida para o Patrocinense, onde disputará o Campeonato Mineiro – Módulo I. Mesmo assim, ele disputará as finais normalmente pelo América e garante que quer finalizar o ano com o título amador. “Será uma grande final e que será definida nos detalhes, não em outro jeito. Será campeão o time que for mais intenso e mais inteligente. Numa final tão equilibrada é preciso saber jogar também com a cabeça”, disse Mário.

CAMPANHAS DOS FINALISTAS
 
FLORESTA
17 JOGOS
34 PONTOS
10 VITORIAS
04 EMPATES
03 DERROTAS
32 GOLS MARCADOS
18 GOLS SOFRIDOS
 
AMERICA  
17 JOGOS
28 PONTOS
08 VITORIAS
04 EMPATES
05 DERROTAS
32 GOLS MARCADOS
20 GOLS SOFRIDOS










 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »