08/11/2019 às 08h00min - Atualizada em 08/11/2019 às 08h00min

Porta 84 revisita a história de Orlando Sabino

Caso do homem conhecido como “O monstro de Capinópolis” ainda é permeada por mistérios

ADREANA OLIVEIRA
Grupo Porta 84 estreia espetáculo amanhã e segue em cartaz até dezembro | Foto: Divulgação

Depois de três anos de estudos e quase seis meses de montagem, Luiz Humberto Arantes está pronto para, junto como Grupo Porta 84, apresentar sua mais nova produção: “Sabino: Memórias de Som e Fúria”. O espetáculo teatral estreia neste sábado (9), e segue em cartaz até dezembro em Uberlândia. Arantes é diretor, produtor e coordenador de dramaturgia da peça que permeia a trajetória de Orlando Sabino, conhecido como “O monstro de Capinópolis”, uma figura que assombrou a região nos anos 1970 com crimes bárbaros.
 
Para fazer o roteiro, o diretor mergulhou sobre notícias, livros, artigos e relatos sobre Sabino, entre eles o livro do jornalista mineiro Pedro Divino Rosa, “O Monstro de Capinópolis” e ainda “Operação Anti-Guerrilha”, de Joaquim Borges, “Drácula Tupiniquim”, de Alciene Ribeiro Leite, “Dinastia das Sombras”, de Carlos Alberto Luppi e “O Monstro”, de Luiz Vilela.
 
O espetáculo procura atualizar a misteriosa vida de Sabino e o público irá acompanhar o que motivou a caçada a ele, seu aprisionamento, seu julgamento e seu confinamento no manicômio de Barbacena (MG), por quase 40 anos.
 
A trama questiona: ele era culpado pelos acontecimentos? Era inocente? Foi vítima de erro judicial ou racismo? O grupo levanta essas questões para que o público reflita e se emocione com essa história, ainda viva no imaginário das pessoas que moram no Triângulo Mineiro e viveram na mesma época que Orlando Sabino, passando a seus filhos as mais variadas informações sobre esse misterioso personagem real.
 
“Mas a peça não retrata apenas a questão da dor, do sofrimento, da injustiça, da humilhação. Há partes leves, que mostram a simplicidade do Sabino, sua relação de amor com a natureza. Há partes divertidas, como uma radialista engraçada, que tentava levar um pouco de alegria aos espectadores, em meio a tempos tão sombrios”, disse Arantes.
 
A repórter questiona o “som e fúria”, do texto de Macbeth (Skakespeare) junto a essa lenda urbana do interior e Arantes responde.
 
“Procuramos aproximar memória regional com elementos do trágico. Havia uma versão sobre Sabino e quisemos revisitar esta história, pois como diz Shakespeare, em Macbeth: ‘A vida é uma história contada por um idiota, cheia de som e de fúria, sem sentido algum’. A história de Sabino sempre foi contada de diferentes maneiras, inclusive de maneiras idiotas, às vezes cheia de som e fúria, quisemos revisitar isso."
 
Viabilizado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC), “Sabino: Memórias de Som e Fúria” será apresentado com a cobrança de ingresso espontânea, ou seja, a pessoa paga o quanto puder. Dessa forma, o grupo de atores e produção ajudam na democratização da arte com esse espetáculo que sucede outras produções de boa repercussão como “Grande Otelo” (2011), “Xapetuba” (2013) e “Juca” (2017 e 2018).
 
SERVIÇO
O QUE: espetáculo “Sabino: Memórias de Som e Fúria”
QUEM: Grupo Porta 84
QUANDO: sábado (9) e domingo (10) às 20h e segue em cartaz até 1º de dezembro sempre aos sábados e domingos
LOCAL: Espaço Porta 84 (Rua Marechal Deodoro, 84, Fundinho)
INGRESSOS: contribuição espontânea – pague quanto puder – disponíveis 30 minutos antes da sessão na bilheteria
CLASSIFICAÇÃO: 18 anos
INFORMAÇÕES: 99966-4182
 
FICHA TÉCNICA
Elenco: Adriene Maycol, André Salomão, Camila Delfino, Geo Dias, Guilherme Almeida
Direção e Encenação: Ernane Fernandez
Direção de Produção e Coordenação de Dramaturgia: Luiz Humberto Arantes
Assistente de Produção: Wagner Júnior
Preparação Musical: André Salomão
Dramaturgista: Danilo Mota
Iluminação: Ronan Vaz e Tamara dos Anjos
Figurinos: Danilo Zei
Projeto Visual/Gráfico: Tiago Pimentel









 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »