03/11/2019 às 09h00min - Atualizada em 03/11/2019 às 09h00min

Nova fórmula do Mineiro divide opiniões

Patrocinence vê retrocesso, mas URT, Boa e Verdão enxergam pontos positivos com criação de torneios extras

ÉDER SOARES
Rildo Moraes, presidente do Boa Esporte, elogiou nova fórmula do Mineiro | Foto: Divulgação
No dia 22 de janeiro começa o Campeonato Mineiro – Módulo I, que teve o seu novo formato definido no conselho técnico realizado na última terça-feira (29), em Belo Horizonte, conforme o Diário de Uberlândia publicou na edição de quarta-feira (30). A nova forma de disputa, que será válida pelos próximos dois anos e só poderá ter uma nova alteração para 2022, agradou os times grandes da capital, mas dividiu opiniões de dirigentes de clubes do interior. O atual presidente do Patrocinense, Mauricio Cunha, e que passará a ser secretário geral do clube, foi o dirigente mais duro e contrário às decisões tomadas no conselho técnico.

Em 2020 e 2021, o campeonato será disputado em turno único, com 11 jogos na primeira fase, classificando-se os quatro primeiros para as semifinais, que serão disputadas com jogos de ida e volta, assim como a final. O certame terá um total de 15 datas, uma a menos em relação à competição deste ano. A tabela será divulgada até o dia 22 de novembro, 60 dias antes de começar o campeonato conforme determina o Estatuto de Torcedor. Em 2018 e neste ano, as 12 equipes jogavam em turno único, mas avançavam os oito primeiros para as quartas de final, que eram disputadas em partida única no campo da equipe de melhor campanha. O formato antigo era o preferido pelos clubes do interior.

As novidades para 2020 é que o Campeonato Mineiro terá a disputa do Troféu Inconfidência, com as equipes que terminarem a fase classificatória entre quinto e oitavo colocados. Eles jogarão em sistema de semifinal e final. Depois, o campeão do Troféu Inconfidência e o campeão Mineiro do interior disputarão o título da Recopa. O presidente da FMF, Adriano Aro, garante que irá tentar junto à CBF mais uma vaga para Minas Gerais para a disputa da Copa do Brasil, no caso, para 2021.

OPINIÕES
Maurício Cunha, presidente do Patrocinense: “a minoria venceu a maioria no arbitral” | Foto: Alair Constantino/Divulgação


Um dos dirigentes mais revoltados com as mudanças é Maurício Cunha, presidente do Patrocinense, que está assumindo o posto de secretário geral do time de Patrocínio. Segundo ele, é preciso que muita coisa mude no futebol mineiro, que atende apenas aos anseios de Cruzeiro, Atlético e América.

“Acredito, primeiro, que enquanto não mudar os votos no conselho técnico para quantitativo e não voto por ponto, como é feito hoje, Minas não avançará no futebol, onde a minoria vence a maioria. Todas as decisões no arbitral foram decididas por Cruzeiro, Atlético, América e Boa. Os demais foram apenas expectadores. Os times do interior ficaram apenas brigando por uma vaga, muito desleal, em uma Copa Inconfidência que não dá direito a nada. Para mim, foi um retrocesso no futebol”, disse Cunha, que disparou contra a falta de apoio da entidade ao interior.

“A maioria dos times jogam seis jogos fora de casa, e outros cinco. Tem a liberação de limite para contratação de atletas, outra forma que ajuda somente as equipes que têm poder econômico. A FMF não ajuda as equipes com nada. Ela organiza, contrata juízes e quadro móvel e quem paga são os clubes, sem direito de negociar. Ela [FMF] tem patrocinadores para o campeonato, mas os times não recebem nada, além de ter que fornecer os melhores lugares em seus campos para colocar placas dos seus patrocinadores, isto são algumas coisas que precisam mudar para o bem do futebol de Minas”, afirmou o presidente, que finalizou falando sobre o planejamento do Patrocinense para o estadual.

“Estamos com o nosso planejamento financeiro em andamento. Já finalizamos a captação de patrocinadores das camisas, a diretoria de futebol está fazendo suas últimas contratações e o lançamento dos uniformes está marcado para dia 11 de novembro. Assim, como vendas de cadeiras e sócio torcedor, a expectativa é de formar uma equipe competitiva para brigar com as equipes do interior pelas primeiras colocações”, finalizou.

O clube ainda não definiu o dia em que iniciará sua pré-temporada. O treinador para o Mineiro será Thiago Oliveira, quem treinou o time na Série D do Brasileiro deste ano. Em termos de elenco, até agora só se sabe que o clube contará mais uma vez com o meia Luiz Fernando, remanescente da série D, assim como o volante Mário Cézar, ídolo da torcida grená.

A FMF foi procurada para se posicionar em relação às críticas de Cunha, mas não se manifestou até o fechamento desta edição.

DO LADO DOS GRANDES
Representante do Boa Esporte na reunião, Rildo Moraes, um dos proprietários da equipe de Varginha, que já representou o Triângulo Mineiro quando o clube ainda era o Ituiutaba, entende que a decisão no conselho técnico foi a melhor para o futebol mineiro. “Nós sugerimos esta forma de competição, que foi discutida no pré-arbitral, mas no conselho técnico nós sugerimos a criação do torneio do quinto ao oitavo [Troféu Inconfidência], que se surgir uma vaga para a Copa do Brasil, daria a oportunidade para o campeão ser o representante [do Estado] e isso foi acolhido pelos clubes, que viram essa possibilidade com bons olhos. Será uma competição muito disputada e quem tem a ganhar com isso é o torcedor”, afirmou. 

Já a presidente da URT de Patos de Minas, Maria Isabel Pimenta, foi bem sucinta em sua resposta. Única dirigente mulher entre os clubes da competição, ela garante que gostou da fórmula de disputa e que a URT irá forte para a competição em busca de vagas para a Copa do Brasil e Serie D do Brasileiro. “Achamos que ficou boa essa nova fórmula, decidida no conselho. Cabe à URT se organizar com uma equipe competitiva, porque é um campeonato difícil, e batalhar para ficar numa boa colocação, e dessa forma garantir classificação para as competições nacionais”, disse.

Bicampeã do interior nos anos de 2016 e 2017, a URT de Patos de Minas só anunciou até o momento a contratação do técnico Ademir Fonseca, que comandou o Uberlândia Esporte no acesso do Módulo II neste ano, e que dirigiu a URT em 2016. Outro anunciado foi o meia Márcio Passos, de 34 anos, que vem por empréstimo do Manaus (AM). Segundo a diretoria, o clube já tem 22 jogadores contratados, mas os nomes só serão anunciados no dia da apresentação, marcado para 13 deste mês. Outra informação é que nenhum dos atletas passou pelo clube nos últimos dois anos e que a intensão é de renovação total.

REGIÃO
Para o presidente do Uberlândia Esporte Clube, Flávio Gomide, a nova fórmula traz uma nova motivação para os clubes do interior. Segundo ele, a nova fórmula seria uma tentativa no sentido de reascender a rivalidade do interior na luta por títulos. Ele entende ainda que este formato nomeia, de forma mais justa, quem manda no interior.

“Tínhamos apenas um Mineiro com semifinal e final e no meio da reunião brigamos pelo Troféu Inconfidência e a Recopa, ou seja, o clube do interior que chegar até oitavo pode jogar o mesmo número de jogos do campeão de BH. É uma atratividade a mais para o público do interior. Em relação ao Uberlândia, a nossa expectativa é de ter um time forte, competitivo e que lutará para buscar seus objetivos, que é retornar à disputa das competições nacionais. Para isso, já estamos trabalhando muito e vamos trabalhar ainda mais ao longo do Mineiro”, afirmou.

O Uberlândia deverá iniciar a pré-temporada no dia 25 deste mês, quando todo o elenco será apresentado. A equipe terá no comando técnico Felipe Surian, que comandou o time na disputa da Série D do ano passado. Até agora, além dos jogadores oriundos das categorias de base, o clube confirmou apenas as permanências do goleiro Diego, dos zagueiros Rogério e Tayron, do volante Luiz Alexandre e dos atacantes Leo e Hugo. A única contratação anunciada até o momento é o meia Diogo Peixoto, que vestirá a camisa alviverde pela terceira vez. Segundo informado pelo diretor de futebol do clube, Fabrício Tavares, o elenco está 90 % contratado.
 
CLUBES DO MÓDULO I
Atlético – Belo Horizonte
América – Belo Horizonte
Cruzeiro – Belo Horizonte
Coimbra -  Belo Horizonte
Caldense – Poços de Caldas
Boa Esporte – Varginha
Patrocinense - Patrocínio
URT – Patos de Minas
Villa  Nova – Nova Lima
Tombense - Tombos
Tupynambás – Juiz de Fora
Uberlândia
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »