31/10/2019 às 07h54min - Atualizada em 31/10/2019 às 07h54min

Racha dos "Velhos Malandros" acontece nesta quinta-feira (31)

Encontro de personalidades do esporte uberlandense será no Cajubá Country Club; Mairon Cesar e Rubão estão entre os homenageados

EDER SOARES
Mairon já jogou como ponta do Uberlândia Esporte Clube | Foto: Divulgação

Com a presença de grandes nomes da história do esporte uberlandense, o Cajubá Country Clube será palco, na tarde desta quinta-feira (31), da 8ª edição do “Racha dos Velhos Malandros”, uma realização do jornalista Celso Machado que visa homenagear ex-atletas de várias modalidades. Desta vez, estarão em pauta dois ex-atletas que se destacaram em esportes diferentes. Mairon Cezar foi ponta esquerda do Uberlândia Esporte Clube (UEC) e de clubes do futebol brasileiro. Já Rubens Guilherme, conhecido como Rubão, foi pivô do Uberlândia Tênis Clube (UTC), fazendo parte da famosa equipe de basquete considerada o “Dream Team” no início da década de 1960.

“O evento tem resgatado e valorizado trajetórias que deram tantas alegrias aos torcedores da cidade. O Mairon Cezar ficou conhecido pelo ‘baile’ que dava no lateral direito do Cruzeiro e da seleção brasileira Nelinho, todas as vezes que jogava contra ele. Já o Rubão, juntamente com Marden, Sérgio Santos, Leone e Pico deram o primeiro título estadual de basquete para Uberlândia no ano de 1963”, disse Celso Machado.

Aos 60 anos, Mairon Cézar trabalha atualmente no ramo automotivo. Além da época inesquecível vestindo a camisa do UEC, ele também fez sucesso pelo Goiás, assinalando inclusive aquele é considerado um dos gols mais bonitos na história do Campeonato Goiano, no ano de 1983, quando conquistou o título do Campeonato Goiano. Ele ainda vestiu as camisas de Guarani de Campinas, Uberaba e o Rio Branco de Andradas (MG), clube pelo qual encerrou a carreira em 1990.

“É uma felicidade muito grande ser lembrado pelo Celso Machado e por todos da mídia de Uberlândia. É importante este resgate da nossa memória esportiva, pois existem muitos profissionais que marcaram época e que não podem ser esquecidos. Será um prazer estar no Cajubá e junto com tantos amigos”, disse Mairon, que relembrou ainda um pouco dos seus confrontos contra o lendário lateral direito Nelinho de Cruzeiro, Alético e da seleção.

“Eu fiz ele (Nelinho) ser expulso três vezes aqui em Uberlândia, e uma no Mineirão. É um fato marcante. Viramos amigos e sempre nos falamos quando eu vou a Belo Horizonte. Ele, quando me via nos jogos, dizia: ‘Você fica tranquilo hoje e sem me dar estes dribles desconcertantes (risos)’”, afirmou Mairon.

BASQUETE
Aos 81 anos, o ex-pivô Rubão faz questão de dividir a sua homenagem com os companheiros que fizeram história no basquete uberlandense entre as décadas de 1950 a 70. “Acho que essa homenagem deve ir para todos os jogadores que fizeram parte de mais de 20 anos de história, em que nós ganhávamos praticamente todas as competições que participávamos. Foi uma época maravilhosa e que faço questão de compartilhar com todos os atletas que passaram pelo time do UTC”, disse.





 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »